Cárie Destaque Últimas

Por que a cárie aparece ?

Escovar bem os dentes é essencial para evitar problemas como a cárie, mas se ela aparece até mesmo em quem faz a escovação corretamente, saiba aqui como prevenir tomando outras medidas que também são importantes

Ah, a cárie e suas dores nos dentes, quem nunca??? Geralmente presentes desde a infância e com casos que se estendem à fase adulta e até mesmo na terceira idade, seus motivos quase que imediatamente remetem a uma escovação inadequada.

Esse é um grande motivo, mas não o único. Pessoas que realizam uma escovação exemplar podem sofrer com seus efeitos, ao passo que outras que não capricham tanto assim na combinação de escova e creme dental podem não apresentá-las.

Afinal de contas, qual é a relação que existe entre escovação e o surgimento de cáries? O que são elas, afinal? Há dicas que podem ser aplicadas para evitar seu aparecimento, às vezes tão doloroso à boca quanto aos bolsos?

Se você tem pelo menos uma dessas dúvidas, saiba que veio ao lugar certo, e se já entender sobre o assunto, nunca é demais reforçar os conhecimentos. Vamos aprender sobre as cáries, seus motivos, cuidados e sugestões para evitá-las.

O que é cárie?

É o nome popular para a deterioração dos dentes. Ela é causada por tipos específicos de bactérias e produzem ácidos que destroem o esmalte (camada superficial) e a dentina (abaixo do esmalte).

Geralmente, muitos tipos de bactéria vivem em nossa boca. Elas se incorporam aos dentes em uma substância pegajosa, que é a placa bacteriana, a qual também contém saliva, pedaços de alimentos e outras substâncias naturais.

A formação da placa se dá em diferentes lugares, como em rachaduras ou sulcos nos dentes, entre os próprios dentes, ao redor de obturações e pontes dentárias e próximo à gengiva.

As bactérias transformam os açúcares e carboidratos dos alimentos em ácido, o qual dissolve os minerais no esmalte dentário, este responsável por cobrir a coroa dentária, que é a parte que podemos ver dos dentes.

Em seu início, é quase impossível ver a olho nu a ação das cáries. Porém, caso não sejam devidamente tratadas, elas podem aumentar e continuar produzindo ácido que pode atingir a camada interior dos dentes, que contém a polpa e as terminações nervosas.

As raízes dos dentes que ficam expostas pela retração gengival também podem desenvolver cáries, já que seu tecido superficial, chamado de cemento radicular, não é tão espesso quanto o esmalte e pode ser dissolvido rapidamente pela ação das bactérias.

É comum ter cáries?

Sim, mais do que você provavelmente imagina.

De acordo com um estudo publicado no “Journal of Dental Research”, feita por Wagner Mercenes, um professor da universidade londrina Queen Mary, estima que 2,4 bilhões de pessoas ao redor do mundo têm cáries.

A pesquisa se baseou em mais de 375 estudos, os quais abrangeram um público de aproximadamente 4,7 milhões de pessoas a nível mundial de 1990 a 2010, ou seja, o campo de pesquisas foi considerável.

Estima-se que a população mundial seja de 7,7 bilhões de pessoas, ou seja, 31,17% das pessoas do mundo deva ter cárie. Isso significa, em termos práticos, que em um grupo de 10 pessoas, pelo menos 3 devem apresentá-las.

Ainda de acordo com o estudo, a estimativa é de que surjam mais 190 milhões de novos casos de cárie por ano, ou seja, mais de 520,54 mil por dia, 21,68 mil por hora, 361 por minuto e 6 por segundo.

Quais são os cuidados para evitar a cárie?

Os seguintes podem ajudá-lo neste processo, principalmente quando aplicados em conjunto:

  • Escovação

Embora não seja suficiente por si só, a escovação é fundamental para poder evitar o aparecimento das cáries.

Ela deve ser feita com movimentos curtos e leves, de modo a não machucar a gengiva. Regiões como os dentes do fundo e as junções com as gengivas merecem atenção especial, já que são alvos em potencial para as cáries.

Áreas que aparecem em volta de eventuais restaurações e pontes também demandam um foco maior, pois já passaram por procedimentos de recuperação e, portanto, poderiam ser usados como “atalhos”.

O ideal é optar por escovas com cerdas macias e cabeça menor, pois seu acesso a regiões complicadas é mais fácil. As trocas devem ser feitas a cada três meses ou quando estiverem danificadas, o que acontecer primeiro.

O melhor creme dental deve ser recomendado pelo seu dentista, mas é importante que elas tenham flúor, já que ele se une ao cálcio dos dentes e os torna mais resistentes contra bactérias e seus efeitos prejudiciais.

  • Fio dental

Por melhor que seja a escovação, ela não é capaz de remover todas as partículas, especialmente as que ficam entre os dentes. Caso elas se mantenham ali, podem servir de alimento para as bactérias, resultar no aparecimento da placa e, consequentemente, da cárie.

Por isso, o uso de fio dental é imprescindível pelo menos uma vez por dia. Eles devem ser passados cautelosamente entre os dentes e sem tanta força, de modo a não cortar ou prejudicar o tecido da gengiva.

  • Enxaguante bucal

Ainda que mereça um lugar na lista, é importante citar que esse item é indicado apenas para alguns casos pelos dentistas e não evita o surgimento da cárie. Isso significa que ele não pode (e nem deve) ser utilizado como substituto à escovação e fio dental, técnicas que são muito poderosas quando combinadas.

  • Alimentos saudáveis

A alimentação também tem um papel importante no combate às cáries. O ideal é evitar comidas que fiquem presas entre os dentes ou, quando consumidas, que se proceda com a escovação logo em seguida.

Além disso, frutas e vegetais frescos aumentam o fluxo de saliva, ao passo que café sem açúcar, chás e gomas de mascar sem açúcar auxiliam na remoção de partículas de comida.

  • Visitas periódicas ao dentista

Por último, mas de forma alguma menos importante, aparecem as visitas ao dentista, que devem ser feitas, no mínimo, a cada seis meses, de modo que o profissional possa avaliar as condições de saúde do paciente e, se necessário, recomendar medidas preventivas ou tratamentos.

Esse é um investimento que vale a pena, já que a avaliação minuciosa de um dentista pode ajudar no diagnóstico de cáries e outros problemas e em seu respectivo tratamento antes que se tornem casos mais sérios.

Alie todos os cuidados e evite as cáries

Cada medida tem a sua importância e todas elas devem ser aplicadas em conjunto. É por isso que a escovação não é suficiente para manter as cáries longe, já que o fio dental, uso de enxaguante, consumo de bons alimentos e outras medidas complementam o que a combinação de escova e pasta não conseguem resolver. Evite soluções milagrosas e não comprovadas.

Adote cada uma das dicas citadas a partir de hoje. Com isso, é bem provável que da próxima vez que se sentar em uma cadeira odontológica, receba uma série de elogios do seu dentista de confiança!

Comentários

comentários

Sobre o autor

Fabricio F. Mendes .'.