Sobre Botox na Odontologia, Interesses Pessoais e Queijos Mexidos

Tanta gente já falou sobre a recente polêmica da decisão (arbitrária a meu ver) de uma juíza do RN que suspendeu a resolução 176/2016 do Conselho Federal de Odontologia que autorizava nós, cirurgiões-dentistas a atuar na aplicação de botox (toxina botulínica) em nossos pacientes, que até exitei em me manifestar. Mas eu não aguentei, e segue a minha opinião, baseada em tudo que penso, li, e ouvi nesses dias.

Dissecando o assunto Botox na Odontologia:

1º –  A decisão foi uma liminar, julgada em tempo recorde e com o agravante de haver nela suspeição de interesse pessoal. Portanto se o CFO for minimamente competente (meu medo é esse) ele consegue reverter isso fácil. E outra, ela não diz respeito à aplicações com finalidade terapêutica, o que ainda nos é permitido. Apenas reviu a atuação na área estética.

2º – Na minha opinião esse assunto só rendeu tanto assim a ponto de tomar conta do noticiário de jornais de grande expressão por 2 motivos: lobby da classe médica, que é extremamente forte e organizada nos bastidores, principalmente se comparados a nós, para tirar credibilidade de dentistas que realizam o procedimento, e também porque é polêmica, e polêmica dá audiência e vende jornal.

3º – Interesses pessoais, acima do coletivo, são uma das causas dessa celeuma toda. E nós dentistas temos culpa nisso. Por interesses pessoais e a ganância de ir com toda sede ao pote alguns colegas ultrapassaram a tênue linha que separa divulgar um procedimento então liberado e para o qual eles haviam (espero eu) se capacitado, de laçar toda e qualquer ruga que lhes passasse na calçada ou fizesse parte de suas redes sociais. Tudo tem limite, mas nós dentistas quase sempre o ignoramos.

4º – Mexeram no queijo de muitos médicos, e como eu disse acima, eles são organizados e muito fortes nos bastidores. E apesar de estar pouco me lixando pro queijo deles, eu reconheço como direito inalienável os mesmos brigarem com os “ratos” que invadiram a despensa outrora controlada por eles. Vejam bem, eles não tem o direito de nos proibir, até porque entendemos muito mais de face que a maioria deles, mas não podemos negar que nossos colegas juramentistas de hipócrates tem todo o direito de não gostar dessa divisão e podem sim pleitear que tudo volte como dantes, no quartel de abranches. Se eu fosse um deles faria o mesmo.

5º –  E para finalizar, gostaria de recomendar a leitura e a visualização de 4 ótimos links sobre o assunto:

Dentistas podem sim aplicar botox
Sobre a suspensão da Resolução 176/2016
Botox – Proibição
Jornalista FALA TUDO

Compartilhe com os amigos

Comentáros

comentários

Fabrício Mendes
Fabrício Mendes
Fundador do Vida de Dentista

Os comentários estão encerrados.