Cirurgia Destaque OdontoSecção

OdontoSecção #19 – Fratura de Mandíbula

Escrito por Guilherme Muck

Na coluna OdontoSecção de hoje, um pouco sobre fratura de mandíbula, semelhante a que ocorreu com Miller Bolaños, jogador do Grêmio

Bom dia colegas do VDD, me desculpe pelo longo período de ausência. As vezes encontrar tempo para escrever é complicado, mas outras vezes me faltam idéias e ou assuntos para escrever, afinal, não é minha intenção ser repetitivo nem enfadonho nos meus textos.

Fratura-bolanos Ontem tivemos mais um clássico Gre-Nal que manteve a tradição de ser um jogo brigado, truncado, guerreado dentro de campo. Clássico de muita rivalidade e que muitas vezes têm jogadas violentas e agressões entre os jogadores e foi o que ocorreu ontem. Não assisti ao jogo, fui ao estádio Independência com meu filho assistir à  vitória do Galo com direito a 3 gols do Robinho, mas, vi o lance na internet (vídeo abaixo) e o jogador Miller Bolaños do Grêmio deu um azar enorme ao fraturar sua mandíbula após uma cotovelada.

Durante meus quase 6 anos de prática hospitalar, posso afirmar que mais de 1/3 dos traumas de face em homens dos 15 aos 40 anos é proveniente de acidentes ou agressões durante a prática esportiva (leia-se futebol) e outro terço é proveniente de acidentes de trânsito (carro, moto ou atropelamento). Então podemos concluir que acidentes como o ocorrido com o jogador do Grêmio ontem não são tão raros assim.

Sem pesquisar no Google, apenas de memória, posso citar fraturas de face também no jogador Renato Augusto e Edinho (do Grêmio) como casos recentes, e inÚmeros casos de jogadores perdendo dentes após choques em campo. A maioria dos traumatismos são acidentais, um jogador choca a sua cabeça contra a cabeça de outro ou outras partes do corpo, mas o caso de ontem foi realmente uma agressão.

Opinar sobre o tratamento, tempo de recuperação ou qualquer outro fator no caso de ontem seria leviano e anti-ético da minha parte. O que posso afirmar é que geralmente fraturas de mandíbula são de fácil resolução, o procedimento cirÚrgico é relativamente rápido e a alta hospitalar geralmente ocorre de 24 a 36 horas após o término da cirurgia. A recuperação é rápida e o paciente precisa respeitar uma dieta líquida e pastosa (não mastigar) por um período mínimo de 5 semanas e evitar impactos por pelo menos 6 a 8 semanas, portanto esse deve ser o tempo de afastamento do jogador.

Qualquer outro palpite aqui seria mera especulação, mas a torcida do Grêmio pode ficar tranquilo que em breve o Killer estará de volta aos gramados.

Boa semana a todos.

Comentários

comentários

Sobre o autor

Guilherme Muck