Odontologia Digna

Olá, pessoal. Da última vez que escrevi aqui, fiz um “apelo” pela cobrança de consulta e concorrência leal. Refletindo sobre o tema tive outro questionamento: e aquelas pessoas desfavorecidas, que não conseguem atendimento pelo SUS mas também não podem pagar R$ 100,00 por uma restauração em resina, por exemplo, e tem quase todos os dentes com lesão de cárie?

Bom, nesses casos, provavelmente tem as nossas “temidas” clínicas “POP”.

dignidade

Imagem do Instagram do EmpreenDentista.com

O quero discutir aqui passa longe do valor cobrado. Isso é problema de quem cobra e de quem paga. Meu foco é qualidade e honestidade na Odontologia praticada.

Já vi inúmeras vezes pacientes que foram em locais que cobram mais barato e foram enganados. Compraram coroa de cerâmica e receberam de cerômero. Compraram “definitiva” e tiveram a provisória. Pagaram por tratamento endodôntico e fizeram apenas a restauração (até mesmo quando o paciente realmente necessitava da endo). E ouvi de uma colega uma vez que ela abriu um dente pra retratar que estava obturado com cone de papel.

Vejam a gravidade da situação.

Se o colega quer cobrar barato, que cobre. Mas, por favor, não engane seu paciente. Ele é leigo, confia em você e vai ficar muito triste quando descobrir a verdade, porque uma hora descobre. Dê a ele um tratamento digno. Não reutilize a embalagem pra esterilizar seu instrumental, porque não esteriliza. Não passe só um “alquinho” no espelho, só por que não teve contato com sangue. Cuide da biossegurança. Infecção cruzada acontece de verdade. Pense se fosse a sua mãe a ser atendida dessa maneira, se você ia ficar contente.

Não quero nem entrar em detalhes sobre qual marca de resina, adesivo, ácido são usadas, até por que eu acredito que mais vele a técnica bem feita com um material considerado inferior do que usar o material mais “top” e fazer de qualquer forma.

Se quer economizar, existem jeitos mais inteligentes: ligue a torneirinha da cuspideira só na hora que o paciente cuspir; apague as luzes quando sair da sala; aproveite a luz natural; não desperdice material. Mas não dê uma de espertinho pra cima do paciente porque ele não merece.

Aja com respeito e dignidade.

Senão não adianta reclamar da Odontologia, nem da política corrupta do nosso país.

***

Esse texto acima é de novo da colega Elisângela Viel, que agora é colunista aqui no VDD 🙂

Compartilhe com os amigos

Comentáros

comentários

Fabrício Mendes
Fabrício Mendes
Fundador do Vida de Dentista

Os comentários estão encerrados.