Dente-de-Leite #11 – Se o bebê não tem dente, não precisa escovar, certo???

Neste post vamos falar mais sobre a Saúde Bucal do Bebê desde o seu nascimento… Os cuidados bucais com as crianças são, de fato, simples se inseridos na rotina desde cedo.

Já falamos da alimentação no post “Dente de Leite #4”, agora vamos cuidar da higienização!

A primeira pergunta que, normalmente, os pais fazem é:

“Se o meu bebê não tem dente, não preciso escovar, certo?”

Certo! Se não têm dentes, não precisa ESCOVAR. Mas precisa HIGIENIZAR!

A criança nasce sem microorganismos na boca, e a contaminação por bactérias acontece de forma rápida. Nosso organismo possui diversas formas que impedem essas bactérias de se multiplicarem e sobreviverem. Uma delas é a saliva.

Antes dos dentinhos nascerem, as bactérias grudam nos lábios, gengiva, língua, bochechas e são facilmente removidas com a ação da língua, com a saliva e a deglutição, assim não possuem uma sobrevida longa e não apresentam risco à saúde da boca do bebê.

Entretanto, além das bactérias comuns do organismo (que são combatidas naturalmente), o bebê se alimenta pela boca, certo? Então (sempre tem um então)… mesmo sem dentes precisamos iniciar o hábito de limpar a boquinha dos bebês! Afinal, já sabemos que a saúde começa pela boca!

Os primeiros dentes nascem por volta do sexto mês de vida (isso não é uma regra, cada um tem seu tempo), mas o hábito da higiene deve começar antes, desde os primeiros dias de vida. E cada idade tem um jeitinho e horário de fazer a limpeza da boca.

Nos primeiros meses, sem dentinhos:

Com uma gaze ou fralda molhada em água filtrada, passe por toda a boca do bebê, limpando a gengiva, bochechas e língua. Com muito carinho! Esta manobra é rápida e muito prazerosa, principalmente no primeiro ano de vida, quando ele responde muito bem a qualquer estímulo oral.

Essa limpeza deve ser feita quando o bebê regurgita e após a última mamada da noite, instalando assim um condicionamento ao hábito da higiene.

Atenção: O leite materno possui substâncias essenciais para a imunidade e desenvolvimento da criança. Ou seja, caso a criança seja alimentada exclusivamente pelo leite materno, essa limpeza deve acontecer apenas uma vez ao dia para inserir o hábito, podendo ser realizada na hora do banho, por exemplo.

dedeira2Quando o bebê já estiver dormindo a noite toda, deve-se fazer a higiene próxima ao horário em que, no futuro, a criança irá dormir. Se este hábito for instalado desde os primeiros dias de vida da criança, ele tornar-se-à tão forte que, mesmo adormecida a criança não acorda durante a limpeza.

Desde pequena a criança se acostuma com a intervenção na boca, e não apresentará resistência ou dificuldades quando chegar a hora de ser independente e realizar a sua própria escovação e higiene pessoal.

Ao nascer o primeiro dentinho:

dedeiraFase pré-escova. Com o nascimento dos primeiros dentes, as bactérias passam a grudar neles e a sobreviver por mais tempo (formam a placa bacteriana), mesmo com as defesas naturais do organismo.

Portanto, logo que os dentinhos irrompem na boca a gaze ou a fralda podem ser substituídas por dedeiras e já inicia-se o uso do fio dental.

A limpeza com o fio dental e dedeira deve ser realizada também após a última mamada ou quando o bebe regurgita. Caso já esteja alimentando-se com papinhas, a higiene deve ser realizada após cada refeição.

Fase ESCOVA:

escova1A escovação deve iniciar assim que a criança aceitar esta prática. A escova de dente deve ser infantil e apropriada para a idade da criança. O Odontopediatra deve orientar os pais e motivar as crianças para realizar uma escovação efetiva e correta.

Nessa fase, o adulto ainda precisará passar o fio dental e escovar os dentinhos da criança, afinal sua coordenação motora ainda estará sendo desenvolvida.

E ao mesmo tempo precisa deixá-la escovar, ensinando-a e motivando-a. Assim, a supervisão não pode ser deixada de lado mesmo quando a independência estiver sendo estimulada.
fiodental1Odontopediatra, pais e crianças instituem uma relação de confiança e responsabilidade mútuas nessa fase.

O uso de creme dental e de bochechos devem ser orientados pelo odontopediatra, que indicará quando e quais são ideais. Existem cremes dentais e bochechos com flúor e sem flúor, cada um tem a sua indicação correta.

Os pequenos, menores de 4 anos, engolem muito os cremes dentais, e em excesso pode fazer mal à saúde. Excesso de flúor leva à fluorose dentária. Por isso o adulto precisa supervisionar a quantidade ideal do creme dental.

Por volta dos 6 anos a criança já está com uma coordenação motora desenvolvida, mas ainda precisa ser supervisionada. Essa é a fase de apresentá-la novos acessórios para sua higiene como limpador de língua, escovas dentais com formatos diferentes e para a sua idade, bochechos com sabores diferentes…

Leve a criança desde cedo ao Odontopediatra, promovendo à sua saúde, prevenindo cáries e doenças bucais.

Compartilhe com os amigos

Comentáros

comentários

Fabrício Mendes
Fabrício Mendes
Fundador do Vida de Dentista

1 Comentário

  1. Tirando algumas dúvidas….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *