Especialidades Ortodontia

Ortodontia – O “X” da Questão #6 – Como diminuir em 80% a quebra de peças

Como diminuir em 80% a quebra de peças ortodônticas dos seus pacientes ??? Esse é o assunto da nossa coluna “Ortodontia – O “X” da Questão” desse mês

Quem é ortodontista sabe que a coisa mais broxante da nossa especialidade são aqueles pacientes que sempre vem à s consultas com peças quebradas. Sejam tubos, braquetes ou até mesmo os arcos, alguns simplesmente não passam um mísero mês sem uma intercorrência desse gênero, não é verdade ??? E o pior é que geralmente eles chegam, sem as peças soltas, reclamando da “cola” que é ~~fraca~~ e justo naqueles dias em que a sua agenda está apertada. Acertei ???

Pois é exatamente para evitar esses dissabores é que vou trazer algumas dicas bestas, que todos vocês que atuam na ortodontia já inclusive devem saber (pelo menos deveriam) e que aplicadas podem diminuir em até 80% o índice de peças quebradas que chegam pra você dar “manutenção”. São itens bem simples e que estão ao alcance de todos. Vejam:

Profilaxia

O método mais barato e básico de se potencializar a boa adesão das peças do aparelho ao dente do seu paciente é fazer uma boa profilaxia antes da colagem. De preferência, com escova de Robson, pedra pomes e água apenas. Evite usa pastas profiláticas pois a maioria delas contém óleos lubrificantes que podem prejudicar a adesão.

Condicionamento àcido

Se você utiliza o ácido fosfórico 37%, como a maioria dos ortodontistas, lembre-se de que vários estudos provam que bastam 15 segundos de condicionamento para que a superfície do esmalte fique devidamente preparada para a colagem. Lembre-se de irrigar o dente pelo mesmo período, afim de remover todo e qualquer resquício do ácido utilizado.

Material de Colagem

Não acho que carecia dizer isso mas, por via das dÚvidas, gostaria de lembrar que é fundamental utilizar um bom material de colagem. Existem resinas que dispensam o uso de adesivo e outras tantas que exigem o seu uso. Mas bem mais importante que isso é a utilização de resinas e adesivos de boa qualidade. Alguns são relativamente caros, mas compensam o sossego futuro.

Tração Excessiva

autoligado 3Evite tracionar demais aqueles dentes que se encontram muito distantes do arco de trabalho ou que não tenham espaço suficiente para entrar no perímetro do arco. Alinhe, nivele, ganhe espaço e aí sim, depois que a maioria dos dentes estiver ancorada por um arco mais calibroso, utilize recursos para buscar esses dentes. A exceção à  essa regra fica por conta da técnica autoligada, onde a ausência de atrito entre arco e braquetes permite (e inclusive pede) que dentes como esse da foto sejam “pescados” já nos arcos iniciais.

Cobre por Peças Recoladas

Nem que seja um valor simbólico de R$5,00 mas cobre. Primeiro porque você vai ter custo pra fazer essa recolagem. Segundo, porque quando dói no bolso eles ficam incrivelmente cuidadosos. Impressionante. Só não se esqueça de colocar isso (a cobrança por recolagem) no seu contrato de prestação de serviços ortodônticos. O combinado não sai caro.

Orientação ao Paciente

Trate seus pacientes, inclusive os mais instruídos, como crianças. Explique tudo, nos mínimos detalhes. Se você não orienta seu paciente sobre como ele deve proceder a higienização e sobre as restrições e recomendações de alimentação durante o tratamento ele sai do consultório achando que pode tudo e o resultado será catastrófico. Além do que você não poderá cobrar dele pelas recolagens, afinal de contas a culpa também é sua.

Desoclusão

Cheque sempre que fizer alguma colagem, se durante a oclusão, o seu paciente não vai forçar nenhuma peça. Se isso acontecer, só cole a peça em questão após fazer a desoclusão do paciente, seja com o auxílio de placas batentes, stop guias ou levantes oclusais com resina. Avalie o padrão facial do seu paciente e saberá qual a melhor escolha.

Se você tiver alguma dica diferente ou quiser complementar alguma das acima mencionadas utilize os nossos comentários. O intuito dessa coluna é promover o debate. Vamos aprender todos juntos. Até o ano que vem. 🙂

Comentários

comentários

Sobre o autor

Fabricio F. Mendes .'.

2 comentários

  • Fabrício, dicas ótimas e aqui vai mais uma: após o ataque ácido e lavagem abundante, aplicar o adesivo líquido tocando o mais suavemente possível a área descalcificada, pois se esfregar com o pincel vai quebrar os prismas de esmaltes que foram expostos, pois são muito frágeis. Deve-se sempre fotopolimerizar o adesivo líquido, pois se aplicarmos o bráquete com o adesivo pastoso sem que o líquido esteja polimerizado, também pode quebrar os prismas de esmalte, com consequente diminuição da adêrencia ao dente. Abs.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.