Você dentista está preparado para um imprevisto ???

Olá leitores.

Como vocês administram sua Vida de Dentista?

Eu até poucos dias não imaginava como minha rotina poderia ser alterada de uma hora pra outra.

Estou formada há 24 anos e optei por montar consultório particular. A escolha pela proximidade de casa foi uma consequência. Faço também endo por porcentagem no consultório de colegas.

O dia 15/08/14 foi o dia do Dental Tour Brasil. Passei o dia em palestras e tinha planos de repetir a dose no dia seguinte. Na madrugada de 16/08/14 meu marido passou mal. Eu o levei para o hospital, e de lá, saímos definitivamente só em 11/09. Ele sofreu um infarto e precisou de revascularização.

Eu, ali, não era mais dona da minha agenda.

Foram dias intensos, entre internação, UTI, semi-intensiva, etc.

Meus dias se resumiam em sair para o hospital as 10:30h e retornar para casa as 20:30h. Isso quando não dormia lá.

Em casa eu tenho dois filhos jovens adultos que se não precisam mais tanto da minha presença física, neste período precisaram muito da emocional.

E o meu trabalho, como ficou?

Ficou. Apenas ficou.

Minha secretária desmarcou todos os atendimentos e se limitou a explicar aos meus â??pacientesâ? clientes a real situação. Todos foram de uma cooperação emocionante.

Meus colegas pra quem presto serviço foram de uma enorme parceria, e se adaptaram como puderam.

Mas e o meu financeiro. Como ficou?

Ficou. Apenas ficou.

Nós que somos autônomos, e que temos um sindicato que só se preocupa com a anuidade, não temos ninguém por nós. Nenhuma garantia, nenhuma orientação.

Ficar sem trabalhar cessa por completo nossa fonte de renda. Ao nos ausentarmos repentinamente acabamos por deixar nossos pacientes completamente sem assistência.

Então o que fazer?

Eu, ainda que pouco, tinha alguma reserva financeira, que me proporcionou algum sossego. Apesar de não ter precisado, contei com colegas MEGA solícitos que se prontificaram a atender meus pacientes numa emergência.

Eu não costumo deixar pendências (contas atrasadas ou decisões a serem tomadas) o que também me acalmou.

Existirão também os gastos extras com transporte, combustível, estacionamento e alimentação fora de casa.

Então eu sugiro (do alto da minha experiência):

-Que o colega tenha um Plano de Assistência Médica, no nosso caso, como ele é funcionário da Secretaria de Segurança Pública, todo o atendimento foi feito no Hospital do Servidor Público Estadual, e devo dizer, que foi muito bom.

-Providencie também uma carteirinha do SUS para retirar a medicação (caso precise), e antes que alguém pense que é â??mesquinhariaâ? saiba que os gastos com medicação pós operatória pode definitivamente desequilibrar o seu orçamento. Sem falar nos itens para troca e manutenção dos curativos (gaze, micropore, antissépticos, etc). No nosso caso a maioria dos remédios é fornecido pelo Hospital. E como foi feita safena, há a necessidade do uso de meia elástica por um período.

-Tenha um ou dois colegas que possam socorrer seu paciente se necessário, e se prontifique para fazê-lo. Infelizmente alguns colegas nem sabem o nome do vizinho de porta.

-Faça uma reserva financeira (ainda que pequena). Você vai precisar.

Apesar de ter parecido uma eternidade, fiquei fora do consultório exatamente um mês. Aos poucos estou retomando as atividades.

Ainda assim, os horários precisaram ser remanejados porque ele ainda demanda muito cuidado e atenção (sem falar o dengo!). Exames, consultas que sou eu quem marca e o acompanha.

Minha intenção com esse post (por dica do Fabrício) é passar minha experiência para que você possa se programar.

Isso porque o doente não é o dentista, se esse for o caso, o período afastado será muito maior e tudo toma outra dimensão.

Essa é a minha realidade mas outros tipos de surpresas podem tirar sua rotina do prumo. Pode não ser uma cardiopatia, mas um acidente durante o futebolzinho de final de semana.

Pensem nisso. Espero ter ajudado. Afinal, ninguém está livre.

Ah! Ele se recupera bem. Felizmente. Já está até fazendo malcriação. Abraços 🙂

Compartilhe com os amigos
  • 3
    Shares

Comentáros

comentários

3 Comentários

  1. Excelente relato, obrigada por compartilhar, Célia! Realmente, a gente nunca está pronto para uma situação dessas…

  2. Muito bom o texto..Dentistas colocam suas luvas e se esquecem de planejar suas careiras e principalmente seu futuro….Reservem SEMPRE uma parte do cascalho que ganham para ter um futuro mais tranquilo…Um belo dia a mão vai parar, mas as contas não.. Faz sentido para você?

  3. Façam também um seguro perda de renda !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *