Ortodontia Últimas

Ortodontia – O “X” da Questão #4 – Honorários Ortodônticos

Hoje nossa coluna de Ortodontia vai falar um pouco sobre os honorários ortodônticos e formação de preço em Odontologia.

Calma colegas !!! Guardem seus alicates de corte pois em momento algum esse post tem a pretensão de dizer quanto vocês devem cobrar pelos seus honorários ortodônticos. Só queremos falar um pouco sobre eles. :D

Vocês sabem muito bem que a formação de preços em Odontologia, e não só na Orto, passam (ou pelo menos deveriam passar) por um criterioso estudo, que envolve, entre outras coisas, o custo da sua hora clínica, o valor praticado no mercado onde você atua, sua formação profissional e principalmente a complexidade do caso.

Custo da Hora Clínica

Quanto ao custo da hora clínica eu já falei tudo que precisava no post COMO CALCULAR SUA HORA CLÍNICA e portanto não vou me repetir aqui. Clique aí em cima e leia que garanto que vai entender.

Valor de Mercado

Sobre o valor de mercado, também é bastante simples de se entender. Se você atende num bairro/rua onde existem outros vários ortodontistas e estes cobram em torno de R$80,00 na mensalidade ortodôntica, não é muito inteligente cobrar muito mais que isso. Nem muito menos. A lógica dos pacientes vai variar muito de acordo com o seu pÚblico alvo, mas via de regra, quando o objetivo do paciente não for encontrar o tratamento de menor preço possível, o que ele busca é um preço justo, ou seja, dentro do valor de mercado que ele com certeza já pesquisou, e cujo profissional responsável transmita a ele a segurança necessária para fechar o negócio.

Formação Profissional

Se você acaba de iniciar suas atividades na Ortodontia, pelo amor de Deus, tenha bom senso. Não dá pra jogar o preço lá no chão, mas também não queira cobrar o que o colega que é especialista/mestre/doutor costuma cobrar. Você vai perceber, à  medida em que for se aprimorando na especialidade, que já pratica uma Ortodontia de nível e que seus honorários podem sim sofrer um reajuste por se tratar de um tratamento de qualidade superior. Mas para isso você precisa estudar e praticar bastante. Não se esqueça.

Complexidade do Caso

Meus amigos, fazendo uma comparação bastante porca simples, o que vocês acham que um pedreiro vai cobrar mais: pra construir uma casa inteira ou pra fazer um “puxadinho” ??? Pois bem, acho que todo mundo sabe a resposta. Na nossa especialidade é a mesma coisa. Não dá pra cobrar igual por procedimentos com graus de dificuldade totalmente diferentes. Uns demoram bem mais que outros. Outros exigem perícia bem maior que uns. Por isso é fundamental fazer um bom diagnóstico e planejamento do caso, afim de evitar que você se complique nas cláusulas do seu contrato de prestação de serviços ortodônticos e acabe “pagando pra trabalhar”.

Por fim, gostaria de dar uma dica de ouro: NUNCA chame seus honorários de “MANUTENÇÃO”.

O termo manutenção remete a conserto de alguma coisa quebrada, e alguns pacientes seguem a burra lógica de que, já que se aproxima a data da “manutenção”, podem comer de tudo, sem se preocupar com quebra de peças, afinal de contas, eles estão pagando pelo suposto conserto. Chame do que quiser. Eu chamo de mensalidade ortodôntica. Alguns colegas chamam simplesmente de honorários. Mas acredite, quando você conseguir abolir o termo “manutenção” do seu consultório, o índice de quebra de peças de seus pacientes diminuirá bastante.

Até a próxima !!! :)

Comentários

comentários

Sobre o autor

Fabricio F. Mendes .'.

1 comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.