Raspadinha #3 – Os hormônios sexuais e a Periodontia

GENGIVITE

Gengivite de gravidez (fonte internet)

Estava fazendo a revisão de uma paciente no final da semana passada, uma adolescente com os hormônios à flor da pele e com severo sangramento gengival, quando tive a inspiração para o post desta semana.

Ao contrário do senso comum os hormônios sexuais também alvejam as células periodontais aumentando a exudação, com poder de iniciar ou agravar inflamações periodontais. O estrogênio acentua a resposta tecidual frente à presença de placa bacteriana, alterando, inclusive, o endotélio periodontal e gengival.

Uma pequena nota a ser dada é que a progesterona é um vascularizador de epitélios de forma geral e pode elevar a temperatura corporal pela maior quantidade de sangue na pele. Já a testosterona tem um efeito osteogênico que pode levar à hiperplasia gengival e óssea.

O mecanismo não é completamente conhecido, mas, sabe-se que os receptores de testosterona na superfície das células T estão relacionados com a doença periodontal nos pacientes com níveis elevados. Porém, a menos que haja problemas sérios de superprodução desse hormônio ou o indivíduo faça uso inadequado de suplementos, a testosterona não dará maior trabalho ao dentista. Em casos de alteração, devemos observar um aumento do epitélio gengival com ou sem inflamação. Mas, de forma geral, fiquemos atentos a edemas e eritemas e tendências hiperplásicas, principalmente em regiões proximais.

GRANULOMA GRAVIDEZ

Granuloma de gravidez (fonte internet)

Os hormônios femininos tem ação não só local como na placa bacteriana, em condições de anaerobiose ou microaerofilia. Ajudado pelos exudatos aumentados e proteção dos tecidos periodontais do sulco ou bolsa, a placa tem condições ideais para se proliferar e causar um estrago no periodonto. Além disso, os hormônios substituem a vitamina K como fator de crescimento bacteriano.

Contraceptivos orais, menstruação e gestação têm sido frequentemente relacionados ao aumento dos hormônios sexuais femininos e à gengivite.Em casos de alteração hormonal, com presença de placa bacteriana, devemos observar, clinicamente, aumento de exudato ou sangramento gengival, diminuição da queratinização da gengiva e aumento do estado inflamatório.

� interessante ter especial atenção aos recém-chegados à fase dos hormônios. Como não havia hormônios sexuais antes, o corpo e a microflora levam um tempo para estabilizarem-se. Junte a isso, a preguiça adolescente e você terá uma combinação perigosa, como nessa jovem abaixo, que chegou a desenvolver uma GUNA.

guna

L.M.C. 12 anos 6 meses.

A etiologia da doença periodontal, estamos cansados de saber, é a placa, contudo os fatores de risco são determinantes na resistência ou susceptibilidade. Uma boa anamnese é fundamental para entender o que está se passando na vida hormonal desde indivíduo ou se ele está usando medicações com o adequado acompanhamento médico.

Até a próxima. 😀

 

Compartilhe com os amigos

Comentáros

comentários

Fabrício Mendes
Fabrício Mendes
Fundador do Vida de Dentista

3 Comentários

  1. Rachide Daher disse:

    Beleza de artigo!! Parabéns!!!!

  2. Rachide Daher disse:

    Beleza de artigo!! Parabéns!!!!

  3. […] a gravidez, com a maior vascularização, o aumento hormonal, a mudança dos hábitos alimentares, alterações no colágeno, na hidratação e a depressão da […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *