Endodontia

Canal Aberto #6 – A lima fraturou. E agora??

Escrito por

Na coluna Canal Aberto de hoje vamos falar sobre um dos pesadelos dos endodontistas, a fratura de lima durante a instrumentação

Uma das intercorrências que mais nos assola no mundo da endodontia é a fratura de lima dentro do canal, seja um especialista experiente ou o clínico que habitualmente o faz; nessa hora se encaixa perfeitamente aquele grande clichê que diz , isso é verdade!

Se você nunca fraturou lima, e trata canais devo dizer que infelizmente sua hora vai chegar. Uma curvatura muito acentuada, força excessiva, inabilidade ou desgaste do instrumento são normalmente os motivos pelos quais a lima tende a fraturar dentro do canal,e quando isso acontece, pode mudar o prognóstico do tratamento radicalmente.

O prognóstico vai depender de alguns fatores tais como o estado de vitalidade em que o dente estava, localização do fragmento seja terço médio, apical, ou cervical; a etapa do tratamento, tamanho e diâmetro do instrumento, e o tipo de instrumento (se é uma lima k, h, rotatória, lentulo…..)

Quando a lima fratura o mais indicado é tentar remover o fragmento tentando ultrapassá-lo e retirando do canal. Ou fazer uso do ultrassom que na literatura é citada pelos autores como a técnica melhor sucedida para remoção, falando, parece simples, mas na prática pode demorar horas ou até sessões.

Existem no mercado, alguns instrumentos desenvolvidos justamente para remover ou deslocar fragmentos de lima de dentro do canal, como o Canal Finder System, EndoExtractor, Masserankit , dentre outros,  mas todos com suas limitações.

Muitas das vezes apesar de todo o esforço não é possível retirar o fragmento. Quando a fratura ocorre no terço cervical e médio, há maior facilidade para removê-lo, porém em terço apical, canais atrésicos e com curvatura acentuada a remoção se torna dificultada. Diante da não remoção, o tratamento deve seguir, mantendo-se o objetivo de descontaminação do canal. Se o dente apresentava vitalidade pulpar, o prognóstico é mais favorável, já que não havia infecção, porém se é um dente necrosado a microbiota presente pode dificultar o tratamento,sendo indicado as vezes complementação com cirurgia parendodôntica e obturação retrógrada, principalmente em casos com lesão periapical.

Para evitarmos essas situações(apesar de as vezes serem inevitáveis) vamos ficar atentos à  quantidade de uso que submetemos nossas limas manuais e rotatórias,  a velocidade de rotação da lentulo dentro do canal, e policiar um pouquinho a força com que tracionamos a lima em canais mais atrésicos ou curvos, isso certamente nos poupará de perder algumas horinhas de sono e de  ganhar uns fios brancos a mais! 😀

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

2 comentários

  • Já chorei e perdi muito sono por isso. Hj, qdo acontece, procuro ficar calma e normalmente tento passar pela lima, já que ao tentar tirar, já fraturei outra 🙁
    Felizmente tenho tido sucesso, mas a sorte me acompanha, pq nunca aconteceu em necro.
    bom não é, mas, sobrevivo.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.