Odontologia Papo Sério

NÚmero de Faculdades de Odontologia no Brasil

Todos nós dentistas sabemos que uma das principais causas (senão a principal) da situação caótica e preocupante que se encontra a nossa profissão se deve ao imenso nÚmero de faculdades de Odontologia no Brasil, jogando milhares e milhares de profissionais no mercado todos os anos, sendo alguns desses incapazes, na teoria e na prática, de se tornarem bons profissionais.

O retorno, não só financeiro, que uma faculdade de Odontologia proporciona para uma instituição de ensino e para a cidade onde ela está instalada é absurdo e vários arranjos políticos fizeram brotar “escolas de fazer dentista” por todo canto. Algumas delas não tem a mínima condição de oferecer ensino de qualidade, o que jogou no mercado de trabalho uma enxurrada de incompetentes diplomados.

Só pra se ter uma ideia da putaria situação, veja um comparativo entre Brasil e EUA:

EUA
População: 320 milhões;
NÚmero de CDs: 187.240;
Formam-se por ano: 4.800;
Faculdades de Odontologia: 73;
Brasil
População: 200 milhões;
NÚmero de CDs: 251.951;
Formam-se por ano: 12.000;
Faculdades de Odontologia: 203;
(dados do Banco Mundial)

O site do CFO disponibiliza uma ferramenta para quem quiser saber quais faculdades de Odonto temos em cada estado e na imagem abaixo vemos a relação completa em nÚmeros. Vejam só:

Esses dados estão disponíveis no site do CFO e foram atualizados pela àºltima vez em 10/01/12, o que com certeza os tornam desatualizados, pois mais cursos de Odontologia deram início à s suas atividades dessa data até hoje.

Vamos a alguns dados interessantes sobre as faculdades de Odontologia do Brasil:

    • 73% são particulares.
    • 22% estão em São Paulo. Nenhuma delas é federal.
    • São Paulo tem mais faculdade de Odonto que toda a região Nordeste. 
    • Minas Gerais possui 5 faculdades federais de Odontologia.
    • 63% delas estão nas regiões Sul e Sudeste

Uma disparidade gigantesca num país acostumado a elas.

Sabemos que de alguns anos pra cá o governo federal deixou de priorizar o ensino de qualidade, valorizando mais a quantidade. Não há mais reprovação no ensino médio por exemplo. Todo mundo precisa se formar, pois o nível de escolaridade do brasileiro precisa aumentar. Custe o que custar. Daí amigos, não se espantem se esse nÚmero assombroso de faculdades de Odontologia no Brasil continuar aumentando. 🙁

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Fabricio F. Mendes .'.

15 comentários

  • ODONTOLOGIA (BRASIL X EUA)

    EUA
    População: 320 milhões;
    Número de CDs: 187.240;
    Formam-se por ano: 4.800;
    Faculdades de Odontologia: 73;

    BRASIL
    População: 200 milhões;
    Número de CDs: 251.951;
    Formam-se por ano: 12.000;
    Faculdades de Odontologia: 203;

    E continua brotando faculdade por aí… Mineiros-GO, pelo jeito logo logo Jataí-GO…
    Que remanejem entre os estados e regiões os cursos já existentes ao invés de abrirem novos cursos, mas não!
    Faculdade particular de odontologia virou empresa há muito tempo, e a profissão vem morrendo ano após ano…
    O que é bom pra população é um atendimento público de qualidade, com profissionais motivados e bem remunerados e não um novo curso na cidade despejando mais profissionais iludidos e muitas vezes despreparados no mercado… Um novo curso na cidade com certeza acabará tendo fins políticos, e é o que se tem visto por aí. O estudante que insiste em fazer odontologia ou por paixão, vocação ou seja lá o que for, que estude pra valer, passe num vestibular de uma boa faculdade, arrume as malas e vá pra outra cidade, estado estudar, se necessário, é claro. Foi assim comigo, é assim com muitos…
    O problema é que baixos salários em concursos, prefeituras são reflexo de um mercado odontológico saturadíssimo. Um médico clínico geral recebe o dobro num PSF do que um dentista. Pq? Estudou muito mais? Isto é fato. Ã? mais importante pra sociedade, população? Até dou razão mesmo… Trabalha muito mais? Discordo totalmente! Ainda que um médico ainda assim atenda 10, 15 pacientes num período, ele não estressa e não sofre com dores nas costas/pernas como um dentista que atende seus 5 pacientes, mesmo pq as vezes ficamos quase 1h com um paciente na cadeira. Qualquer um aqui sabe que é muito mais desgastante trabalhar dentro da boca do paciente, em posturas muitas vezes desconfortáveis, mochos, equipamentos que muitas vezes não oferecem uma ergonomia ideal, do que um médico que atende sentado em sua mesa, conversando com o paciente, fazendo anamnese, solicitando exames necessários e receitas…
    Servi o exército 7 anos e as vezes me pego pensando: "Nossa eu ganhava bem no exército. Mentira! Eu ganhava um salário justo e apenas bom. A maioria dos orgãos públicos, municipais espalhados pelo Brasil afora é que pagam mal geralmente, não dando o devido valor ao dentista, refém de toda esta situação de um mercado de trabalho saturado…

    Obs1: Existem ótimas faculdades particulares de odontologia no Brasil;
    Obs2: Existem péssimas faculdades particulares de odontologia no Brasil;
    Obs3: O aluno faz a faculdade (na medida do possível claro);
    Obs4: O mercado não precisa de mais dentistas;
    Obs5: Se um recém formado vai trabalhar numa clínica popular, se sujeitando muitas vezes a condições humilhantes de trabalho, alguma coisa está muito errado com a odontologia;
    Obs5: Sou dentista do município (também preciso deste emprego), sempre tive um ótimo ambiente de trabalho, mas o que observo aqui em GO, SP, MG, e em diversas outras cidades espalhadas pelo Brasil, através de contatos com colegas de trabalho via internet principalmente, é que no geral o dentista está cansado e desmotivado. Refiro-me principalmente ao dentista formado de 20 anos pra cá e que ainda não pode se dar ao luxo ou mesmo não quer se dedicar exclusivamente ao atendimento particular, lançando mão de um emprego/salário fixo. Atendo em meu consultório particular também, gosto muito do que faço e "ainda" tenho orgulho da minha profissão. Mas como qualquer trabalhador luto por um salário justo para a classe e um mercado de trabalho com uma competição saudável;
    Infelizmente um sonho cada vez mais distante…

    Obs final:Todo este artigo e meu texto deveria ser uma péssima piada de mau gosto, uma pena a nossa realidade ser a brasileira e não a americana…

  • Os que mais gostam dessa situação são os conselhos,sindicados e associações que querem faturar!
    Outras consequências são congressos caça-níqueis e cursos meia-boca.
    Deveria ter uma entidade reguladora da odontologia de gente respeitável que pensa no futuro do país.
    Valeu pelo post!

  • Não adianta culpar os números, as estatísticas e as instituições de ensino, a causa da má odontologia praticada em nosso país é principalmente dos profissionais que já estão incluídos no mercado, pela negligência na prática diária em seus consultórios, os que se “prostituem” atuando por preços ridículos, abrem consultório em cima de padaria e de açougue desvalorizando a classe, se sujeitam à preços absurdos que os convênios se dispõe a pagar, esse conjunto de ações ajudam a denegrir a odontologia no atual cenário nacional, sem falar das entidades de classe que deveriam lutar pelo progresso da classe com mais imponência, ultimamente parece que o foco de tudo é a importância do cirurgião dentista em UTI, em Hospital, odontologia hospitalar, medicina bucal, ou seja, querem com isso equiparar o dentista ao médico? acham que a odontologia só vai ser respeitada se for vista dentro de um hospital? NÃ?O nosso problema de saúde bucal está nos postos de saúde, onde mais existe negligência, falta de material e pouca vontade dos profissionais, nas escolas, nos bairros, nas periferias, quem está no hospital sim precisa de certa assistência também, mas nosso maior campo de atuação é outro e está sendo descuidado, desamparado, acredito que a valorização do profissional tem que partir dele e se isso não acontece voluntariamente as entidades de classe deveriam intervir e tomar medidas para que se intensifique a fiscalização dos consultórios, do serviço de saúde pública e junto com a ANS brigar pelos valores absurdos que os convênios querem pagar…

    E no demais não importa quantos vão se formar, sempre há demanda para quem trabalha bem, o importante é se destacar e trabalhar corretamente obedecendo as normas e os princípios da odontologia.

    Só uma opinião e uma sugestão pessoal se o que incomoda for o número de formandos então que o CFO institua uma prova ao final do curso para certificação assim como a OAB, pois advogados sim esses se formam feito água, pior que odontologia e o número de cursos no Brasil de Direito acredite é MUITO maior que odontologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.