Séries

Os Especialistas – CLÍNICO GERAL

Hoje, na série OS ESPECIALISTAS, o especialista em nada, vulgo, CLÍNICO GERAL

Já tava com um texto dos bucos quase pronto. Mas além da inspiração ter acabado antes do próprio texto, passei tanta raiva essa semana que cheguei virada no Jiraya e preciso falar ou vou explodir! Hoje a bola da vez são os grandes especialistas em NADA, também conhecidos como pseudo-especialistas em tudo.

Os NÃ?O-especialistas, doravante denominados CLÍNICOS, são de fato a espécie mais abundante na odontologia. Seja pela falta de oportunidade pra fazer uma especialização, falta de tempo ou simplesmente de interesse, acabam praticando a odontologia em sua forma mais simples. Todo mundo se forma clínico, então é uma experiência que todos já vivemos, quer sejamos especialistas ou doutorados. Em momento algum desmereço o trabalho do clínico, que em alguns casos é mais criterioso e dedicado do que alguns especialistas. Ter um título não faz ninguém melhor ou mais profissional, mas inclusive pra ser clínico tem que ter VONTADE. E é aí que mora o problema.

O clínico é legalmente habilitado pra executar praticamente todos os procedimentos odontológicos, o que não quer dizer que ele DEVA executar tudo. Falo como endodontista: Aparece muito mais bagunça de clínico pra eu consertar (perfurações, aberturas erradas ou excessivas, flareus, e tentativas frustradas de cirurgias) do que sucessos de tratamentos que o especialista deveria ter feito. Gente, a regra é clara: NÃ?O SABE FAZER, ENCAMINHE. Ninguém é obrigado a fazer tudo de todo tipo só porque é dentista. Mesmo que você more num lugar pequeno e de difícil acesso, limitações existem. Seja humilde e reconheça as suas.

Outra coisa que eu já falei mas preciso repetir: Saiba encaminhar seu paciente. A função do clínico é examinar e detectar afecções e problemas orais, diagnosticar as patologias mais comuns e resolver o que estiver a seu alcance. Isso quer dizer que, se você não faz implantes dentários e vai encaminhar seu paciente pra um profissional da área, reza o bom senso que você não vai mandar o cara com a boca cheia de tártaro, cáries e GUNA pro colega ANTES de resolver essas pendengas, certo? Parece óbvio, mas não é pra alguns colegas. Esse é o motivo de estar onfire ao escrever esse texto. Alguns dos meus colegas não tem essa consideração e me mandam pacientes com tártaro pelas orelhas, gengivite explodindo e sem ao menos tirarem uma àºnica radiografia porqueviram o buraco e mandam pra endo. E se tiver reabsorvido ou fraturado? O diagnóstico não deveria ter sido feito pelo clínico? Se tá com dÚvida se o que tá no RX é uma lesão, se tá muito profundo, ok. Mas nem um teste de vitalidade pulpar? Ah vá. Se tem um clínico que não pode executar um raio X periapical (ou encaminhar pra uma clínica radiológica) e for incapaz de realizar um teste de vitalidade, sugiro recolher o seu diploma e pensar numa carreira alternativa, tipo venda direta de Avon ou Tupperware.Herbalife tá na moda na minha terra. Bom, sou endodontista, se você é de outra área, insira aqui a sua reclamação.

Acho válido se formar e praticar a clínica durante um tempo. à? importante executar alguns procedimentos que só a experiência vai ensinar. Durante o tempo que fiz clínica eu aprendi demais. Aprendi inclusive que meu nível de afinidade com prótese é quase zero. Isso não quer dizer que eu nunca mais vou fazer prótese, mas penso em fazer uma atualização antes de me aventurar de novo. Clinicando se descobrem os gostos e desgostos dessa vida odontológica. A faculdade é como uma auto-escola: Você não sai de lá motorista, você aprende o básico pra dirigir, e a partir do momento que pratica, vai se aperfeiçoando na arte de pilotar. Nem todos virarão motorista ou piloto de F1. Nem todos vão ter doutorado. E tem pista pra todo mundo. 

 

Comentários

comentários

Sobre o autor

Basilio Jose Bernal Junior

34 comentários

  • cocordo plenamente contigo, eu por exemplo parei de fazer os canais isso que nao podia me queixar mesmo sendo clinica geral fazia bastante bem com dificuldade, mais bem feito. logo depois uma endodoncista comeco a trabalhar na minha clincai y como ela e especialista ela se tomo o tempo e o dinhero pra fazer a especializacao e entregue na maos dela toda a parte de canal, inclusive alguns colegas que sao so clinicos geral me dizzian que pra que eu vou deixar de ganhar por dar os casos pra ela, e me aconselhaban dar so us casos mais complicados, mais me pareceu muita sacanagem por que tenho que derivar so os casos mais complicado si vou dar a especialidade vou DAR COMPLETA nao tem esa de eu faco anterior e pres, y voce faz molares. NAo! o especialista debe atender todos os casos. bom en fim agora estoy saindo de esa de clinica geral estou fazendo implantologia. asim que vamos a respeitar as especialidades!!! disculpa minha pesima escritura em portuguez não sou brasilera!!

  • Ok. Parabéns pelo seu texto.
    Concordo com vc em relação a encaminhar, mas acredito que o fato de um profissional sair de uma faculdade sem esperiência é culpa do sistema atual de ensino.
    Pois Tenho especilizacão em CTBMF e Implantodontia e Mestrado, e mesmo assim continuo usando muitas técnicas que aprendí na graduação. Pois estudei em uma faculdade que exigiu muito para “entrar” e muito mais ainda para finalizar o curso.
    Abraços.
    Marcelo.

  • Outra coisa é a forma como os encaminhamentos são realizados. Não custa nada fazer um texto no word, com tabulação correta e PORTUGUÃ?S LEGÍVEL, explicando o por que da indicação ao colega. Letra de dentista é quase tão ruim a do médico (que é uma vergonha!) num receituário.

  • “A faculdade é como uma auto-escola: Você não sai de lá motorista, você aprende o básico pra dirigir, e a partir do momento que pratica, vai se aperfeiçoando na arte de pilotar.” heheh, gostei da comparação

  • A culpa de tudo o que acontece na odontologia só pode ser atribuída aos próprios dentistas; explico-me: Quando deixamos que os usurários, mais conhecidos como agiotas montem suas clínicas populares impunemente para se servirem do prostituto recém formado, este tem que fazer gato e sapato para fazer jus a sua mísera comissão, daí não importa onde ele vai enfiar seu bedelho! Além dos outros prostitutos que aderem aos convênios e recebem honorários aviltantes e isso sequer constrange o "Conselho".Não se cobra consulta, pois só se faz orçamento, então qualquer coisa que pintar é lucro, e ele não vai nunca encaminhar sua comissão para o especialista. Dá pra entender? Os folhetos de propaganda ostentam todo tipo de procedimento que os "DENTISTAS" executam, e só falta constar" ressuscitamento dental" à frio!!! Poderia me delongar em considerações indefinidamente, mas ouso afrontar aqui a opinião do nobre colega em relação aos especialistas em nada, pois sou clínico geral por opção e nos meus quase trinta anos de profissão cometi, por certo, erros como todo profissional em qualquer área comete, mas com certeza pelo meu tempo de viagem nesta profissão conheço-lhe bem os meandros bem como a falta de caráter corporativo dos companheiros de viagem e sua pouca ética, pois nunca devemos generalizar nossos achismos, e enquanto não houver o despertar, seremos a escória da área médica.l

  • Muito bom o texto. Só daria um exemplo na parte das imprudências/impericias, que o clínico não deve fazer o que não aprendeu/fez na faculdade. Como vc disse que “aventurou” a fazer prótese. Mas imagino que com segurança, não deve ter feito uma fixa do 17 ao 28. kkkkk. Gostei muito dessa coluna. Abraço

  • Mais um ótimo texto. Acho que esse foi inspirado no calor de um dia difícil!
    Sobre encaminhar …imagino a sua situação, “salvar uma alma numa boca dos infernos, cada um sabe onde seu calo aperta”.

  • O dia q tomarmos vergonha na cara e pararmos de apenas "falar" e partir para o "fazer", continuaremos naquela sombra dos colegas da medicina, que sabidamente são unidos em prol da classe…Temos um conselho fraco digno da fraqueza de nós profissionais…sou implantodontista mas continuo os estudos nas demais áreas pois sempre aparece algo q se eu puder já encaminhar com um possivel diagnóstico será muito bem vindo. Mas até pra encaminhar é difícil, pois o colega recebe o paciente (indicado para somente e exclusivamente um procedimento) muda o planejamento e ainda cobra mais barato q vc…Dureza…

  • A culpa não é do cirurgião dentista. São tantos fatores envolvidos para explicar a situação atual da odontologia que não caberia aqui tentar explicar.

    Mesmo porque por mais que eu quisesse eu não teria tal capacidade de expor todos os problemas. Mas se pegarmos cada comentário inclusive o artigo, vemos que as justificativas e teorias se movem em cima de uma queixa pessoal e quando estamos injuriados com algo acabamos colocando a culpa no próximo.

    Veja bem!! Eu concordo que um clínico deveria fazer um encaminhamento correto, foi ensinado a ele na faculdade e explicado os motivos para se fazer esse encaminhamento, é no mínimo ser educado, correto, "faça com o outro o que gostaria que fosse feito comigo", preocupado em ajudar o especialista, se ele é clínico o paciente provavelmente é dele e deveria zelar por ele. E quanto mais informação melhor para se fechar um diagnóstico.

    Concordo que a Odontologia de hoje requer muito mais conhecimento administrativo, gerencial do que antigamente e que isso não nos é ensinado!

    A odontologia vive hoje uma situação diferente de 20 anos atrás? Com certeza, mas sempre vejo a mesma conversa: a culpa é de clínica popular, é do recém formado que se prostitui e o número de faculdades? E os olhos fechados do CRO, e os interesses políticos?. A meu ver o dentista é o que menos tem culpa, no geral ele quer apenas ter uma vida digna. Falar sobre isso enquanto já tem um poder aquisitivo e dizer como um recém formado deve agir, o que não deve fazer é muito fácil. Quanto me formei ortodontista, pagava parcelado móveis e eletrodomésticos do meu casamento, pagava aluguel e decidi cobrar apenas mensalidades, houve muita confusão em minha cidade, pois os ortodontistas mais antigos achavam um absurdo, fizeram diversas reuniões querendo forçar os Ortodontistas mais novos a cobrar pelo aparelho a vista ao invés de parcelar.

    Mas não teve um que disse: "Cobre pelo aparelho e enquanto não ter uma renda vamos te dar um salário para te ajudar a pagar as contas" Hoje tenho 12 anos de formado e sei como é a vida de um recém formado, ele é o que menos tem culpa. Ã? a fase mais difícil de nossa profissão! Não sabemos o que cobrar, não temos a teoria das 10 horas, a pressão sobre as costas é imensa!!!

    Detalhe, hoje 80% daqueles que falavam que era uma absurdo não cobrar aparelhos não cobram mais, percebam aqui o interesse individual atrás de um politicamente correto.

    O mundo é dinâmico e muda sempre, e na odontologia, assim como a medicina mudaram também (converse com um médico e verá que hoje ele trabalha com CNPJ, não tem férias, 13 e outras coisas e trabalha leras de horas por dia. Médico é unido? Assim como em todas as profissões se une em interesses maiores e se dispersam em interesses pessoais.

    Daqui a 10 anos a odontologia será diferente e quem parar no tempo vai ficar reclamando porque mudou? Se aceita dizer que o dentista antigo não se atualizou, não fez especialização e por isso perdeu clientela, mas não se aceita dizer que hoje tem network, que hoje tem gestão, que hoje tem endomarketing e devemos aprender sobre esses assuntos? E se não querer aprender vai colocar a culpa no próximo?

    Eu não quero isso pra mim. Tento fazer minha parte, o que eu gosto. E quem está do meu lado faz o que ele achar que é o certo. Evito de julgar (sempre vamos julgar, então devemos pelo menos nos policiar rs)

    Dá pra trabalhar cobrando BEM e atendendo a Classe A, B. Dá pra trabalhar com a classe C cobrando um pouco menos. As pessoas e aqui os dentistas não percebem que o mundo mudou. O paciente não quer apenas a TÃ?CNICA odontológica, ele quer ser atendido de forma diferenciada e para isso requer pensar não apenas no atendimento técnico. Se perguntar a um paciente o que fez ele ir tratar com um dentista a última coisa que ele irá dizer é: trato porque meu dentista é tecnicamente melhor do que os outros. Vai dizer que foi a gentileza, o preço, a educação, a indicação, a preocupação, menos a destreza técnica.

    Hoje existem clínicas que não são populares e me arrisco a dizer que o atendimento é melhor do que grande parte dos consultórios convencionais. Tem dentistas recém formado assim como tem recém formado na prefeitura, em consultórios diversos, em empregos de variados modelos de negócios. Tem especialistas assim como em outros lugares. O ser bom tecnicamente deveria ser uma obrigação a partir do momento que se escolheu essa profissão para viver dela. Não dá pra se vangloriar disso. Agora conseguir cativar, fidelizar um cliente mesmo sem ter nenhum curso na área de psicologia, marketing, gerenciamento isso não deve ser fácil e com certeza erraremos muito por isso. Mas é o caminho. Cativar e Fidelizar. Não precisa culpar ninguém, basta olharmos para o umbigo e ver o que estamos fazendo de errado. Porque quem percebe que Cativar e Fidelizar é o segredo vai longe.

    Tem dentista que fala: "Nossa meus pacientes me elogiam muito, e depois de 5 anos a sua clientela sumiu e coloca culpa o colega do lado que o preço é menor. Sabia que apenas 5% dos insatisfeitos reclamam na clínica ou consultorio que está tratando? Os outros 95% simplesmente não voltam mais!!! Já pegou o cadastro de seu consultório e analisou quantos pacientes trataram 1 vez e depois nunca mais voltou? Já pensou em criar alguma forma de recuperar esses pacientes perdidos?

    Quanto a indicação realmente é sem noção, entretanto um especialista em seu consultório passará por isso diversas vezes também. Eu já passei por isso diversas vezes. Se nós estamos em nosso consultório e nosso colega nos indica diversas vezes sem uma indicação vamos simplesmente parar de atender o paciente deste? E se o tratamento for de 20 mil reais sem a indicação? Vai mudar nosso pensamento? Porque se mudar nosso pensamento significa que estamos apenas jogando palavras ao vento em protesto individual. Se não mudar significa que é uma pessoa de princípios e está dizendo no que acredita realmente, sem pensar em si próprio, mesmo que esteja errado em seus pensamentos.

    Certa vez encontrei um colega insatisfeito dizendo que os pacientes pediam desconto, que tinha que cobrar caro pelo procedimento, que tudo barato não presta. Mas fora do consultório pechinchava tudo, andava de Fiat ao invés de uma Ferrari, Falava mal de plano de saúde odontológico mas tinha plano de saúde médico (pergunta pro médico o que ele acha de plano de saúde?), no consultório tinha de ser a vista, mas sempre comprava parcelado. Enfim, fazia tudo o que seu cliente fazia, mas reclamava deste. Outro amigo que cobrava valores consideráveis uma vez estávamos comprando algo juntos e eu disse pra ele pedir um desconto. Ele me disse: "Nossa eu não consigo, eu nunca peço desconto, eu não dou desconto e por isso não peço. Não importa o que penso, mas esse segundo colega ele é ao menos coerente não comigo (que não importa), mas consigo mesmo.

    Enfim, existem muitas coisas erradas, tudo escrito acima tem seu lado verdadeiro e quando estamos nos sentindo pressionados ficamos insanos, mas também existe muita coisa que nos poderíamos mudar ao invés de culpar o outro. Culpar os outros muitas vezes é uma válvula de escape para não nos sentirmos culpados.

    Todos escreveram em desabafo, assim acredito que eu também rsrs, por isso faça jus o que eu disse para mim também. Certo é aquele que fica em silêncio, pois nunca ficará refém de suas palavras.

    Abraço a todos!!!

    • Nossa, Wanderson Lage, até pra comentar na internet tu é chato. EU ESCREVI esse texto depois de sair do IEB Centro pela milésima vez passando as mesmas raivas que já cansei de reclamar pra você. Enfim, tá dito. E esse é o meu patrão.

    • Muito legal sua ponderação Wanderson Lage. Não dá pra sair "desabafando" assim em rede social. Todos, TODOS, nós profissionais, independente da área passamos raiva e nos enfurecemos com "colegas" que trabalham diferente do que nós julgamos certo. Eu pago minha psicanalista pra ouvir o que os outros não têm obrigação de ouvir (ler).
      Admiro ainda mais, como profissional e o incrível empreendedor que é (desde o tempo que pagava parcelado os móveis de seu casamento). Abraços!

    • Muito legal sua ponderação Wanderson Lage. Não dá pra sair "desabafando" assim em rede social. Todos, TODOS, nós profissionais, independente da área passamos raiva e nos enfurecemos com "colegas" que trabalham diferente do que nós julgamos certo. Eu pago minha psicanalista pra ouvir o que os outros não têm obrigação de ouvir (ler).
      Admiro ainda mais, como profissional e o incrível empreendedor que é (desde o tempo que pagava parcelado os móveis de seu casamento). Abraços!

    • Muito legal sua ponderação Wanderson Lage. Não dá pra sair "desabafando" assim em rede social. Todos, TODOS, nós profissionais, independente da área passamos raiva e nos enfurecemos com "colegas" que trabalham diferente do que nós julgamos certo. Eu pago minha psicanalista pra ouvir o que os outros não têm obrigação de ouvir (ler).
      Admiro ainda mais, como profissional e o incrível empreendedor que é (desde o tempo que pagava parcelado os móveis de seu casamento). Abraços!

    • Muito legal sua ponderação Wanderson Lage. Não dá pra sair "desabafando" assim em rede social. Todos, TODOS, nós profissionais, independente da área passamos raiva e nos enfurecemos com "colegas" que trabalham diferente do que nós julgamos certo. Eu pago minha psicanalista pra ouvir o que os outros não têm obrigação de ouvir (ler).
      Admiro ainda mais, como profissional e o incrível empreendedor que é (desde o tempo que pagava parcelado os móveis de seu casamento). Abraços!

    • Não Jana … esse dente é meu … e como no texto citou-se que alguns dentistas faziam coisas que não estavam preparados eu resolvi mostrar de novo esse meu caso. Só isso. 😀

  • Adoro seus textos, e sempre vejo uma ponta de humor neles, mas dessa vez vc estava um pouco mais ácida 🙁
    Como eu falei aqui http://odontostalgia.wordpress.com/2011/07/24/clinico-geral/ EU ADORO SER CLINICA GERAL. Dizem que o especialista sabe muito de pouco e o clinico um pouco de tudo. Nunca quis fazer especialização e pelo simples motivo e querer ser Dentista de Familia.
    Não saber indicar não é defeito apenas do clinico geral, e saber reconhecer sua limitações deve ser prerrogativa de qualquer profissional.
    Não me senti ofendida, apenas um pouco magoada, e mesmo percebendo que vc não quis generalizar, no texto pareceu assim.
    Os especialistas existem pra apagar nossos incêndios, mas tbem somos nós, na grande maioria, que indicamos para o especialista, afinal, não me consta que o paciente, saiba quando está com pulpite, pericementite ou abcesso, ou mesmo saiba quando precisa de um aumento de coroa clinica 🙂
    Bjos

  • Pelo visto o caro colega , deve ser um excelente endodontista, mas acredito também que é especialista em uma outra área que infelismente muitos colegas de profissão se destacam, que é tentar aparecer em cima das dificuldade dos outros, e não com as suas virtudes. Colega concordo com algumas coisas que você colocou, mas odontologia já é uma area da saúde bem restrita , logo esse excesso de especialização só afasta a população de acesso ao tratamento odontológico.
    Procure ser mais himilde e respeite mais seus colegas. Fazer boa odontologia com gogó é muito fácil….

  • É justamente por este tipo de atitude que os dentistas são os profissionais mais desunidos da área da saúde e os empresários das clínicas populares fazem o que fazem… se fôssemos mais unidos e mandássemos os planos odontológicos com suas patéticas tabelas pro espaço junto com as clínicas populares… se tivéssemos um conselho que atuasse neste aspecto e não ficassem fazendo reuniões inúteis para tirar foto para o jornalzinho mensal (aliás cheio de propaganda) talvez nossa classe teria mais força e dignidade. Abraço a todos

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.