A cárie e a história do homem

A doença cárie nos acompanha pelos últimos 20 mil anos e, com maior incidência, nos últimos 5 mil. Quando o homem abandonou sua natureza caçadora e coletora e passou a utilizar grãos ricos em amido e carboidratos, provindos da agricultura, a incidência desta doença, que era de cerca de 2% na população, passou a 9%, no período Neolítico.

Há 4 mil anos, com o refino do famigerado açúcar, a já alta incidência de 10% estourou para 90% de indivíduos cariados. Alexandre, o Grande cariogênico levou o açúcar à Grécia e, a partir de lá, o consumo se espalhou para Roma e todo resto do continente europeu, há cerca de 2 mil anos.

Australopitecus Cariadus
Australopitecus Cariadus
Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários