OdontoSecção #20 – O dia em que foi o dentista quem chorou 

Deixei passar um dia enquanto processava tudo o que me ocorreu ontem no trabalho.

Atendi como meu primeiro paciente do dia uma criança que tocou o meu coração e pela primeira vez na minha vida profissional me fez chorar, me emocionar com meu atendimento.

O rapaz, portador de algum tipo de paralisia cerebral, tem grandes limitações físicas e motoras e precisava que um dente fosse extraído. Eu já o havia atendido antes, cerca de dois meses atrás, mas o atendimento de ontem me marcou. Ele estava obviamente com medo, e lutava contra o próprio instinto de não abrir a boca. Eu percebia que ele queria me deixar atendê-lo, ele sabia que eu iria tirar aquele dente que tanto lhe doía, e ele lutava contra si mesmo. Troquei algumas poucas palavras em seu ouvido, até que falei as palavras mágicas – Galo, Luan, Victor… na hora o pequeno fez um esforço descomunal e abriu a boca. Consegui atendê-lo e remover o dente cariado.

Durante a cirurgia me emocionei, e confesso que me segurei para não chorar. Ao término da cirurgia, a colega especialista em PNE foi conversar e acalmar o pai que estava ansioso do lado de fora, relatou que tínhamos terminado o atendimento e tudo tinha corrido bem.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários