Revelador e Fixador usados – O que fazer com eles?

A era digital na Odontologia já é uma realidade. Muitos colegas já utilizam aparelhos digitais para tomadas radiográficas, o que elimina a etapa de processamento da película, que por si só já seria maravilhoso pelo tempo ganho, mas não ter o odor do fixador nas mãos ou a mancha do revelador na roupa é o maior ganho.

Porém, alguns colegas (maioria) entre os quais me incluo, ainda utilizam o processo químico de processamento e este post tem uma pergunta exatamente para esse grupo:

– Como você descarta o revelador e fixador usados?

Tanto o revelador quanto o fixador para filmes radiográficos possuem substâncias químicas e metais pesados que, se descartado no esgoto doméstico, podem contaminar o solo e a água.

Preocupada com isso pedi a Carestream que me ajudasse na neutralização dos compostos antes do descarte.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  • 978
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

3 comentários em “Revelador e Fixador usados – O que fazer com eles?

  • 12 de agosto de 2015 em 22:25
    Permalink

    Aqui em Guarulhos, é obrigatorio o descarte do revelador/fixador atraves de uma empresa que o recolha. Como parte da documentaçao para que o consultorio esteja legalizado, precisa ter um projeto PGRS.

    Resposta
    • 12 de agosto de 2015 em 23:12
      Permalink

      Oi Sarah, de acordo com as informações que colhi, esse destino é para grandes quantidades e devem ser recolhidos por empresas que tenham o CADRI (certificado de destinação), visto que os fixadores usados contem prata e podem ser recuperados por processos específicos para tal.
      Aqui em S Paulo temos a coleta dos residuos sólidos e a TRSS (taxa de residuo solido de saúde), que é trimestral não inclui essas quimicas.
      Bom alerta.
      Cada colega deve verificar a legislação local.
      Mas vale lembrar, que muitos colegas mantém consultórios “informais”, o que os deixa nas sombras da legislação, e pelo menos, essa atitude eles podem tomar.
      Obrigada pela visita e volte sempre.

      Resposta
  • 7 de julho de 2016 em 02:28
    Permalink

    Quais os cuidados para o descarte de equipamentos de Raios X ?
    A emissão de radiação ionizante só ocorre quando o equipamento está energizado e o feixe de raios X é acionado.
    Se o equipamento não puder ser recuperado através de manutenção, ele pode ser tratado como resíduo sólido e encaminhado para nossa Empresa especializada (Fasmed Eco Ray) com objetivo de realizar os procedimentos de coleta, desmonte e sucateamento (reciclagem dos componentes). Este procedimento consiste em desconectar os fios e cabos de alimentação elétrica, remover do equipamento qualquer adesivo ou identificação com o símbolo internacional da presença de radiação ionizante. Acondicionar corretamente o interior do cabeçote para transporte o qual existe uma ampola de vidro espessa evacuada que pode quebrar. É necessário cuidado especial com o óleo isolante, pois é preciso dar um destino correto (Incinerar) para não contaminar o meio ambiente. No caso de equipamentos antigos, deve-se tomar cuidado com o ASCAREL, óleo utilizado como isolante e que é altamente cancerígeno e danoso à saúde humana e ao meio ambiente o qual nestes casos estamos capacitados a emitir certificado de descarte para o destino final.
    A Resolução SS-625, de 14/12/1994, no subitem 5.2.3 preconiza que a desativação deve ser requerida junto à vigilância sanitária competente, pelo responsável legal, com a baixa de responsabilidade técnica pelo equipamento e com a notificação sobre o destino final a ser dado ao equipamento.
    Se o equipamento pertencer ao Estado, devem ser observados os procedimentos relativos ao patrimônio público (transferência para outros serviços ou sucateamento). Solicite orçamento sem compromisso (11) 7808-0619 ou (11) 2019-8474 fasmed@fasmed.com.br.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *