Imobilização em Odontopediatria – Quais os limites dessa prática?


Um norte-americano se revoltou após encontrar a filha imobilizada, sobre uma cadeira de dentista, durante um consulta odontológica, na cidade de Carrollton, na Geórgia, nos Estados Unidos, nesta semana.
James Crow havia levado a pequena Elizabeth até o especialista para ter um dente extraído. No entanto, enquanto esperava do lado de fora do consultório, ele ouviu gritos. Assustado, ele invadiu a sala, onde encontrou a menina com braços e pernas contidos com um fitas de plástico. O pai da vítima agora está denunciado o caso à imprensa. As informações são do jornal Daily Mail.

“Estávamos sentados na sala de espera e, de repente, ouvimos alguém gritando”, contou Crow, que em seguida decidiu entrar na sala de exames, onde encontrou a filha presa sobre a cadeira do dentista. “Eu não aguentei ver minha filha dentro daquele saco, amarrada. Não sei lidar com isso”, desabafou ele. Ainda de acordo com o americano, o dentista disse que usou o método de contenção porque a menina “não estava cooperando”.

Crow contou ainda que assinou uma formulário autorizando o atendimento odontológico da menina, mas não o uso do equipamento para prendê-la. Ela receberia gás hilariante durante o procedimento para extração dentária.

Irritado com a ação do dentista, ele procurou a imprensa para denunciar o especialista. O pai cedeu uma foto à imprensa, mostrando a menina amarrada.

Segundo a publicação inglesa, procurado, o dentista Jamey Chung, que “prendeu” Elizabeth, se defendeu dizendo que teve autorização por escrito dos pais para usar o método.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *