Ortodontia – O “X” da Questão #3 – Contrato de Prestação de Serviços

Hoje falaremos sobre a extrema importância de se estabelecer, antes do início de qualquer atividade clínica, um acordo paciente-dentista sobre o(s) tratamento(s) a ser(em) realizado(s). Independente de qual seja a sua especialidade, você cirurgião-dentista deve, principalmente em casos de tratamentos longos ou que envolvam um grande valor agregado, estabelecer em contrato, entre outras tantas coisas, quais são os direitos e deveres de cada uma das partes envolvidas.

Um bom contrato de prestação de serviços odontológicos, especificamente aqui falando para a Ortodontia,  precisa ter alguns tópicos fundamentais, não necessariamente nessa mesma ordem:

Identificação do paciente (nome, endereço, data de nascimento, rg, cpf, nomes de pai e mãe, etc …) 

Diagnóstico e planejamento do caso (qual é a malocusão, padrão facial e o que faremos para tratá-la)

Objetivos e prognóstico do caso (até onde pretendemos corrigir a malocusão e quais as chances disso acontecer)

Possíveis intercorrências durante o tratamento (acidentes, reabsorções, quebras, descalcificações por má-higiene, etc …)

Periodicidade das consultas (quinzenal, mensal, bimestral, trimestral, etc…)

Tipo de aparelho a ser utilizado (dijuntor, fixo, AEB, etc…)

Previsão estimada de duração do tratamento (em meses, com as possíveis variáveis de alteração desse prazo)

Valor dos honorários e possíveis multas e reajustes (valor da mensalidade, das faltas, das recolagens, multas por desistência de tratamento, etc…)

Autorização para realização do tratamento (assinaturas do paciente, do ortodontista e de 2 testemunhas)

Vou passar para vocês um modelo bastante completo, editável, e que julgo ser suficiente para nos documentar bem. Esse modelo reúne tudo que julgo importante num contrato, tanto que o uso na minha própria rotina ortodôntica:

CLIQUE AQUI E BAIXE O MODELO DE CONTRATO EDITÁVEL GRATUITAMENTE

LINK ALTERNATIVO CASO O ACIMA NÃO FUNCIONE

Existem até alguns modelos de contrato mais simplificados, como esse do CFO, mas eu sugiro fortemente que na Ortodontia vocês utilizem esse acima, que é bem mais completo e nos dá mais segurança. Para outras especialidades ele pode até servir. Não há nenhum motivo sequer que me convença de que que essa conduta do contrato seja desnecessária.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

5 comentários em “Ortodontia – O “X” da Questão #3 – Contrato de Prestação de Serviços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *