A desvalorização da Odontologia é reversível ???

Chega uma hora em que todo dentista deveria parar pra pensar um pouco mais na Odontologia como uma profissão, que precisa ser enaltecida, e menos como um meio de subsistência. Eu não estudei pra caramba, me formei dentista e gastei uma grana preta pra viver apertado.

Enquanto cada um pensar em si próprio, em pagar as suas contas e ficar feliz ao ver sobrar um caraminguá qualquer no fim do mês estaremos andando a passos largos rumo à uma desvalorização que, confesso, não sei mais se é reversível.

Se você não vive a crise odontológica esse texto não é pra você, mas peço que o leia mesmo assim. O mundo dá muitas voltas e talvez algum dia essas palavras ainda te sirvam pra alguma coisa.

Ontem vi um pequeno desabafo da colega Célia Barral na página DENTISTAS do Facebook, ao qual fui autorizado por ela a reproduzir aqui no VDD.

Célia meteu o dedo na ferida. Sem dó. Como todos deveríamos fazer:

DESABAFO

 

Célia tocou em vários pontos importantes. Mas o principal é: Os pacientes não respeitam mais os dentistas.

Sabe porque ??? Porque nós mesmos não nos respeitamos.

Tratamos nossos colegas de profissão como concorrentes. Enxergamos neles o adversário ao qual temos que vencer afim de “poder saborear um naco de carne podre de uma carniça chamada paciente”. Nos esforçamos mais em cobrir o orçamento alheio do que em mostrar ao nosso “freguês” as nossas qualidades. Da nossa clínica. Da nossa formação. Da nossa experiência. A Odontologia é um negócio para o qual não estamos aptos a cuidar. Não fomos preparados. Nossa formação é miseravelmente falha.

Visualizamos nossos pacientes como cifrões. Cifrões esses que quase nunca vem acompanhados números justos, pois se assim o fizermos, corremos o risco de perdê-los pro colega da esquina. Morremos de medo de dar preço. Temos vergonha de cobrar. Temos vergonha de ter lucro. Muito imbecis, aceitamos subconscientemente o estigma de profissionais que “ganham muito”. Esquecemos com uma facilidade absurda de tudo que gastamos desde a faculdade para oferecer a nossos pacientes um tratamento altamente especializado. Muitas vezes também nos achamos demais. Somos vítimas de nós mesmos. Da nossa arrogância. Da nossa ignorância.

CHEEEEEEEEEEEEEGAAAAAAAAAAAAAAAAA !!!

Quer ver como é preciso dar um basta ??? Olhem os prints abaixo.

150

 

Não bastasse essa senhora (que nem português sabe direito) questionar o valor do procedimento numa rede social, ela busca ali alguém que o faça por um custo menor. O pior é que ela acha. Algum fdp aluno de Odontologia se dispõe a trocar a extração por uma cerveja. BAITA PROFISSIONAIS AS FACULDADES TÃO FORMANDO, HEIN ???

Acha que acabou ??? Então senta !!!

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  • 2K
  • 17
  •  
  •  
  •  
  • 4
  •  

Comente

Comentários

44 comentários em “A desvalorização da Odontologia é reversível ???

  • 12 de março de 2013 em 17:13
    Permalink

    Tô ~berge~ com este post. 😛

    "Fossem os dentes expostos como são os peitos estaríamos todos ricos". Por mim, pode fechar a Internet por hoje. Parabéns. 🙂

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:20
    Permalink

    Eu estava conversando sobre extamente isso com a Jussiara Souza e a Greice Schwambach. Que ABO, CRO, CFO tão aí pra que? Fazem uma tabela de valores mínimos, mas não fazem os dentistas seguirem essa tabela. Fico pensando como será meu futuro se tudo continuar assim!!

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:27
    Permalink

    Como eu já disse em outro post, a culpa da odontologia estar como está é sim das entidades de classe, mas muito antes disso está nas costa dos que estão inscritos nos conselhos e nas dita cujas, afinal de contas quem tem que cobrar são vocês, aproveita já que teu blog tem um alcance absurdo como você disse e organiza um protesto, se reúnam na porta dos CRO, CFO e tudo mais que for de entidade de classe, não adianta ligar o seu pc e criticar a escória da profissão e tão pouco chamar N?S estudantes de filhos da puta pois não temos culpa do seu fracasso!
    Tá revoltado? Normal, te afirmo que como estudante estou preocupado com o que venho lendo e ouvindo no dia a dia, o que posso fazer hoje é me preparar para esse mercado cada vez mais concorrido, criticar a falta de ética dos outros é fácil quero ver fazer com imparcialidade né colega?
    Sai um pouco da rede e senta mais na cadeira do seu consultório, aprende a lidar com o ser humano e a negociar, antes de ser dentista devemos ser empreendedores no nosso negócio!

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:27
    Permalink

    Cara, parabéns pela postagem. Gostaria de saber se posso exibí-la em meu blog: http://www.anibalribeiro.com Sabe, essa semana, ao passar o planejamento periodontal a um paciente, ele questionou o valor dizendo: "Dr., porque tão caro so para limpar meus dentes"? COlegas, nessa hora o sangue subiu, mas contei até dez e expliquei a importancia daquele tratamente, e, sutilmente, disse que aquele era o valor e, infelizmente não era como uma loja de roupa que entrava em promoção; Mostrei que aquilo ali era coisa séria e, se não tratato, corria risco de perder os dentes. Enfim, No final o paciente entendeu. Outras vezes chegam pacientes para Ortodontia questionando porque pagar o aparelho se vários dentistas botam de graça…. Fica difícil até de dar a resposta, e gostaria até de uma sugestão para isso. Geralmente digo que cobramos porque temos suporte científico para tal, alem de usarmos materiais de qualidade, no entanto, que o paciente tenha a livre escolha para decidir… Nessas horas também fico triste com a profissão; mas não abro mão da nossa valorização. aparelho de graça? ? mesmo o fim do mundo! grande abraço a todos!

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:37
    Permalink

    otimo esse post.. infelizmente é assim mesmo que acontece.. la onde eu trabalho sempre aparece um paciente perguntando "quanto ta o implante de vocês?" como se estivesse comprando uma peça pro carro.. pra ele não importa se o profissional é competente, qual a qualificação que ele tem, quais os riscos da cirurgia.. ele só esta em busca de preço e deixa bem claro isso. mas podemos culpa-lo? quantas vezes eu ligo a tv e vejo um dentista que pra mim é na verdade um vendedor me oferecendo um sorriso novo, lindo em apenas três dias.. "com apenas dois pininhos você tera seu sorriso de volta.. é a terceira dentição" sem considerar os riscos de uma cirurgia, sem considerar que cada caso exige um determinado tipo de tratamento.. a culpa disso tudo é nossa mesmo. enquanto agirmos como comerciantes vão continuar tratando nosso trabalho como mercadoria e não como um tratamento de saúde.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:46
    Permalink

    Infelizmente, isso é tudo a mais pura verdade… Certa vez escutei de um professor o comentário: os nossos maiores concorrentes são as agências de viagens, cirurgias plásticas, carros novos… então, manda o paciente que não valoriza o seu trabalho, ir à um restaurante e usar seu carro novo pra poder mastigar… já que os dentes não valem o investimento… triste…

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:48
    Permalink

    Cara, na boa… já foi uma boa profissão. Outro dia tive que ouvir que "a outra dentista entrega a chapa mais rápido". Olhei para o cidadão e disse: Fique a vontade, pode procurar a outra dentista. Resposta: "Não Dr., o outro serviço que ela fez não ficou bom. Eu estava brincando." CFO, CRO. APCDs, para que estas merdas existem? Para mandar uma agendinha escrota, uma canetinha sem vergonha e ainda obrigam a votar numa merda de eleição que você não conhece ninguém. Fato ocorrido anos atrás: Estava numa recepção na casa de um colega, numa "apresentação de um candidato ao CROSP e um dos "acompanhantes" estava elogiando o convênio firmado com uma administadora de cartão de crédito, que agora sim a classe iria se beneficiar, blá bla blá… Olhei para o acompanhante e perguntei de quem foi a "brilhante idéia", já que pode funcionar bem em grandes cidades, porque na minha alguns pacientes nem cheque tem (e são os que pagam direitinho). Acabou a recepção, porque a idéia brilhante foi do candidato à presidência do CROSP. Perfeito o que você disse. Cada um olha para o seu próprio rabo. E tem mais. Sou profissional liberal, não tenho emprego… Prá que merda SOU OBRIGADO A PAGAR SINDICATO???????? Me poupe. Na realidade, a odontologia virou terra de ninguém. ? cada um por si.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 18:41
    Permalink

    Lamentável mesmo. Quase todos os dias nos deparamos com situações parecidas, se não idénticas. Mas fazer o que? Muitos de nós somos "obrigados a aceitar" algumas situações devido a imposiçoes de mercado e qualidade de vida. Algumas x não da vontade de levantar da cama para trabalhar. Entidades de classe? Servem para nada…ou algm discorda? Mas assim como em tudo no país, ngm faz nada. Nós, profissionais, não levantamos do conforto do consultório para reivindicar assim como não reinvidicamos absolutamente nada no q se refere a política brasileira. Podemos mudar? Acho impossível. Muitas universidades formando péssimos profissionais, população melhorando a qualidade de vida financeira mais completamente sem educação básica. Respeito não se ensina mais, assim como regras básicas de convivencia social e educação básica. O q se ensina é como dar um jeitinho… "com jeitinho a coisa se ajeita neh"… Lamentável tudo isso.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 19:15
    Permalink

    Belas palavras meu colega! Mas infelizmente aqui na minha cidade essas palavras entram em um ouvido e saem pelo outro para a GRANDE MAIORIA dos colegas de profissão! Tem clínica por aqui cobrando 20 reais em uma restauração! ABSURDO!!! Temos que parar p pensar e refletir que não somos comerciantes, não vendemos material. Nós vendemos CONHECIMENTO. Conhecimento esse que adquirimos a muito custo e muito estudo também! Se bem conheço a minha classe e o povo brasileiro em geral, essas mudanças só irão ocorrer por meios de SANS?ES. ? ai que o CFO e CRO tem que valer de alguma coisa, fiscalizando e exigindo as clínicas e cobrarem, no mínimo, um preço JUSTO!!

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 19:16
    Permalink

    Belo post. Realmente a odontologia passa por um momento crucial e delicado, mas, assim como você, também acredito que isso tenha solução. ? só ter sabedoria para podermos chegar "ao andar de cima da prateleira" que é o nosso lugar e do qual não deveríamos ter saído. Parabéns mais uma vez, e vamos a luta, com certeza conseguimos mudar, e eu vou lutar para isso!

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 19:53
    Permalink

    Excelente postagem, reflete bem a nossa realidade atual, só gostaria de saber uma coisa, o q aconteceria se todos nós como forma de reivindicar nossos valores, parássemos de pagar sindicato e CRO, e ai sera que eles fariam alguma coisa por nós?
    Corajoso daquele que hoje em dia, ingressa em um curso como o nosso, na faculdade é tudo como conto de fadas, mas que na realidade é quase um filme de terror. lamentável.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 20:27
    Permalink

    Eu também fico muito decepcionada com tudo isso! Apesar das dificuldades eu não abro mão de valorizar meu trabalho. Muitos pacientes fazem avaliação e pegam o orçamento, (não procuro ver orçamentos anteriores feito por eles) e já aviso, você pode encontrar tratamento mais barato, mas com o material e a qualidade que trabalho o meu preço é esse. Faço uma avaliação com cuidado e atenção! Agora depende dele em escolher… Claro que ele sabe diferenciar tipos de tratamentos, seja pelo atendimento, atenção e orientações que os bom CDs fazem, já que não entendem de materiais.
    A maioria dos meus pcts são por indicação, não tenho tantos como queria, mas sei que minha agenda está ficando cada vez mais ocupada de pcts que sabem valorizar nossa profissão. Acredito que desta forma vou chegar onde quero, mas claro! Sem medo de cobrar pela minha qualidade de trabalho.
    Agora! Que não é fácil, não é!!!! Ainda mais com tantas faculdades abrindo cursos como promoções nas CASAS BAHIA, aqui em Balneário Camboriú SC, acabam saindo profissionais sem competência que se submetem a prostituir nossa profissão. Alguém já viu promoção do curso de MEDICINA? E ai que está a questão!!!!!

    Resposta
    • 12 de março de 2013 em 22:40
      Permalink

      Seu trabalho Dr Patricia e um dos melhores que ja conheci em Itajai,continue assim com essa dedicação que vc tem que ira longe se Deus quiser. Um Abraço e sucesso.

      Resposta
  • 12 de março de 2013 em 20:38
    Permalink

    No próximo ano completarei 10 anos de profissão e o sentimento de nutria pela profissão não é o mesmo do início. Muitos dos pacientes veem ao consultório para fazer pesquisa de preço e eles mesmo dizem isso na nossa frente: "Vim aqui para ver se o senhor faz uma diferença, porque o doutor fulano falou que meu tratamento fica por $$$". Quando era criança me lembro que independente do problema sempre ia no mesmo profissional. Existia uma confiança e um respeito pelo dentista.
    Minha parte no processo de valorização da profissão já estou fazendo: ABANDONEI O CONV?NIO, investimento em marketing "LEAL", compra de equipamentos. E me surpreendi notando que meus pacientes de convênio ainda vem tratar comigo e pagam satisfeitos.
    Caros colegas de profissão, quem oferece a volta da saúde bucal somos nós, então independente de fazermos mercado de preço, o sujeito vai nos procurar e a escolha do cliente estará pautada na qualidade do profissional e não no desconto.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 17:39
    Permalink

    No próximo ano completarei 10 anos de profissão e o sentimento de nutria pela profissão não é o mesmo do início. Muitos dos pacientes veem ao consultório para fazer pesquisa de preço e eles mesmo dizem isso na nossa frente: “Vim aqui para ver se o senhor faz uma diferença, porque o doutor fulano falou que meu tratamento fica por $$$”. Quando era criança me lembro que independente do problema sempre ia no mesmo profissional. Existia uma confiança e um respeito pelo dentista.
    Minha parte no processo de valorização da profissão já estou fazendo: ABANDONEI O CONV?NIO, investimento em marketing “LEAL”, compra de equipamentos. E me surpreendi notando que meus pacientes de convênio ainda vem tratar comigo e pagam satisfeitos.
    Caros colegas de profissão, quem oferece a volta da saúde bucal somos nós, então independente de fazermos mercado de preço, o sujeito vai nos procurar e a escolha do cliente estará pautada na qualidade do profissional e não no desconto.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 20:13
    Permalink

    Então…quando arrisco colocar minha opinião na net, sei dos riscos que corro, e resolvi enfrentá-los.
    Estou formada há 22anos e nunca vi quadro igual. Na verdade, não somos imunes, a crise é geral.
    O que entristece é a perspectiva. Parece que não vai melhorar tão cedo.
    Não acho que a culpa seja “nossa” eu tento fazer a minha parte. Não tenho problema em pedir apoio e indicar um paciente se não me acho capaz de determinado procedimento. Acho que o sol nasceu para todos.
    Faço o meu melhor. Não sou perfeita, e abomino convênios.
    O que me magoa é sair de casa, ir trabalhar, assumir custos, fazer uma endo de qualidade, em sessão unica e receber um cheque pra 25dias depois. Eu não posso pagar a escola da minha filha com 25dias de atraso.
    Sei que existem profissionais que desconhecem esta realidade, e que continuem assim.
    Tenho tbem pacientes que pagam religiosamente bem.
    Me incomoda também falar que estudei muito, investi muito e por isso deve ser bem remunerada. Acho que a remuneração deve ser justa, e por justa entendo o valor que dou ao meu trabalho.
    Não acho que porque alguém não estudou “muito” tenha que receber menos que eu. Respeito é a palavra.
    E antes que me critiquem por comparar o incomparável aviso: Eu luto apenas pelo justo e digno.
    Respeito todas as opiniões.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 23:54
    Permalink

    ?s vezes fico impressionado, com a área que estou futuramente querendo ingressar, dá um pouco de medo quando leio algumas postagens referentes à desvalorização da profissão, mas por outro lado me instiga a querer mudar isso, a fazer o melhor possível para elevar o nome da Odontologia, estou aprendendo muito com o blog, parabéns. Agradeço profundamente pelo seu tempo reservado e dedicado a trazer informações como essas a nós leitores. Eu como ??pré-acadêmico? estou tendo uma breve noção do que realmente me aguarda no futuro, escolhi odontologia por acreditar na possibilidade de realizar coisas impossíveis, sou de família humilde e não está sendo nada fácil adaptar minha vida para fazer odontologia, e olha que começo a faculdade apenas em agosto, e estou com receio de não poder custear materiais do curso. Espero que durante a graduação e após a minha formação eu ainda tenha essa mesma cede de dar o melhor de mim, e fazer da Odontologia não apenas minha profissão, mas sim uma parte de minha vida.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 23:10
    Permalink

    Eu cobro o valor que ACHO que o procedimento merece, o paciente paga se quiser/puder. Se tem um que não paga, outro vai vir e achar que merece. Vamos parar com esse mimimi, o paciente não tem X pra pagar naquela restauração, mas vai pra farra no final de semana e gasta o dobro com cerveja!! Se for mulher, gasta o mesmo valor com uma escova no salão. Isso é um absurdo, o povo está brincando com a saúde.
    Infelizmente, estou enojada com essa situação da odontologia.

    Resposta
  • 12 de março de 2013 em 23:16
    Permalink

    Eu já desisti! Questão de tempo dar baixa no meu CRO, pois não adianta gritar para quem não quer ouvir. Gritei muito, mas não estou rouco. Apenas vi que não vale a pena qualquer diálogo sobre honra com a atual classe odontológica, que é acomodada ou incapaz de perceber o mal em que está mergulhada. A Odontologia não merece os dentistas que tem e que estão levando tão nobre profissão à decadência. Tem que ser burro, mas muito burro ou em desespero de fome para ter uma formatura e dar consulta de graça, aparelho ortodôntico de graça, aceitar os preços dos convênios, montar consultório “popular” para cobrar R$20,00 (vinte reais!) por um procedimento ou aceitar meros R$1.000,00 reais por 20 horas semanais de trabalho. Eu já vi tratamento ortodôntico como brinde de abadá de micareta! Amigos, estamos falando de um dos cursos mais caros que um estudante pode fazer. ? investimento alto não apenas de dinheiro, mas de vida! E os que ganham menos que o que pagavam de mensalidade na faculdade? Qualquer economista ia dobrar de rir da cara dos dentistas! ? tudo muito triste. Pior: é uma classe que perdeu toda referência de dignidade e por isso não percebe o quanto está sofrendo e fazendo sofrer quem diz amar: a Odontologia.

    Resposta
  • 13 de março de 2013 em 00:36
    Permalink

    Um conselho que dou para os novos e para os veteranos, invistam na qualidade de atendimento. Isso é o que agrega valor ao nosso serviço e nos tira do meio da carnificina. Infelizmente com a massificação de cursos e de informação, existem muitos profissionais preguiçosos e muitos pacientes aproveitadores, que acham que sabem algo e por isso não valorizam o serviço do outro.

    Cabe a N?S fazermos a diferença em nosso serviço. Existem cursos que podem nos ajudar como o Empretec, mas tem que ter peito e tirar a bundinha do mocho.

    Infelizmente, repito, mal profissional que se desvaloriza e desvaloriza o trabalho da classe sempre existirá. O que não podemos é achar que isso é certo e tentarmos competir pelo “naco de carne podre” com eles.

    No mais, parabéns pelo post.

    Resposta
  • 13 de março de 2013 em 10:25
    Permalink

    “Berge”é f…Ela diz que o dente tá “pendurado”.Deve estar com o que restou da coroa “colado” na gengiva e o resto da raiz láááá dentro do alvéolo.Ontem me recusei a extrair um molar superior de um garoto que precisava de endo e uma restauração classe dois.Seus pais,todos cobertos de tatoos,saíram me xingando nos corredores e reclamando do dentista que não quer trabalhar.Claro que daqui a alguns anos,quando o garoto já for um senhor,ele irá dizer que a culpa foi minha e não dos seus pais.Tô tranquilo,eles que se fodam.

    Resposta
  • 13 de março de 2013 em 12:07
    Permalink

    A odontologia é uma excelente profissão. Mas é também díficil e muito exigente para quem a pratica. Ouso dizer que é a profissão mais díficil e exigente de ser exercida. Portanto não é para todos. O que vemos por aí é uma imensa quantidade de dentistas que, infelizmente, não deveriam ser dentistas. Não satisfazem os requisitos para ser um dentista. Para ser um dentista é preciso conhecimento técnico, habilidade manual, detalhismo, senso estético, paciência, ser um bom trasmissor de informações, passar confiança, ser firme e ao mesmo tempo sutil nos procedimentos, ter carisma, ser trabalhador, etc, etc e etc. Poderia descrever no mínimo mais 10 requisitos imprescindíveis ao exercício da odontologia particular. Sem falar nos requisitos administrativos e empreendendores que um consultório particular exige hoje em dia. Algumas destas qualidades podem ser aprendidas, outras não, são inerentes à pessoa. O que vemos por aí é uma grande quantidade de profissionais que não possuem estas qualidades e insistem em serem dentistas. Por mais que tentem, não conseguem obter pacientes particulares. Não conseguem enxergar que o problema não vêm de fora e sim o problema é exatamente eles mesmos. E o que fazem para compensar isto? Cobram preços vis, atendem convênios e se sujeitam a trabalhar para outros por um salário ou comissão indignos, incluo aí os serviços públicos. Como diz o Fabrício neste post, são como âncoras carregando nossa profissão para o fundo do mar.

    Lendo os comentários anteriores percebi que a grande maioria espera que a solução venha de algum orgão regulador. Não virá! Seus dirigentes a muito nem exercem a profissão, arrumaram outros meios de se sustentarem. A solução têm que vir de nós dentistas, os verdadeiros donos da odontologia. E é simples… não se sujeitem a empregos com salários indignos, parem de cobrar preços vis em seus consultórios particulares e, principalmente, parem de atender convênios imediatamente.

    O mal que os convênios estão fazendo para a odontologia é muito grande, será irreparavél em poucos anos. Estamos entregando a odontologia gratuitamente a empresas que não tem comprometimento nenhum com ela, só visam lucros em detrimento da própria odontologia. A grande maioria dos convênios é adquirida na modalidade empresarial, são oferecidos como brindes em convênios médicos e descontados em folha de pagamento por um valor irrisório. As operadoras de convênio odontológico desprestigiam seu próprio produto porque não estão interessadas em tratamentos odontológicos e sim em N?O tratamentos odontológicos. Você sabia que a cada 10 clientes de planos odontológicos apenas 4 os utilizam ou o sub-utilizam. O jogo das operadoras é fácil de entender… para elas quanto mais bagunça melhor. Cobrando barato e repassando miséria ao dentista incentivam a prática de uma odontologia de segunda categoria. O cliente quando percebe isso já terá pago alguns anos de mensalidade e ao sair do plano pouca importância terá pois outros milhares entraram em seu lugar. O número de clientes de planos odontológicos no Brasil esta perto hoje de 16 milhões de pessoas e em cinco anos serão 50 milhões, segundo estimativas das próprias operadoras de convênios. E você, dentista que atende planos odontológicos, até quando será cúmplice desta prática? Até quando será tratado como instrumento coadjuvante na atividade onde você deveria ser o principal?

    Se você não consegue se livrar dos convênios odontológicos, não consegue praticar preços coerentes em seu consultório ou precisa se submeter a um emprego com um salário aviltante, por favor, faça um favor à odontologia e principalmente à você mesmo, mude de profissão.

    Parabéns ao Fabrício pelo blog e principalmete por posts como este que colocam o dedo na ferida.

    Resposta
  • 13 de março de 2013 em 17:03
    Permalink

    véi..na boa…..tenho 24 anos de profissão. já vi muitos problemas, crise existe em todo lugar. parem de chorar e vão trabalhar…….

    Resposta
  • 14 de março de 2013 em 00:44
    Permalink

    Adoro a Odonto, mas mesmo assim to no quarto ano de Medicina. Fui idiota uma vez; duas não.
    E vou continuar atendendo, porém do mesmo modo que já atendo mesmo: com altivez e seriedade. E pretendo continuar sendo mais bem remunerado ainda. Uma coisa digo a todos: se Odontologia fosse uma residência médica seria a mais concorrida. Muito burros somos em ter jogado a profissão no lixo. Agora é aguentar.

    Resposta
  • 14 de março de 2013 em 11:02
    Permalink

    Não! A desvalorização da Odontologia não é reversível.
    A Odontologia brasileira está com “pulpite irreversível” e caminha para uma “necrose pulpar”.

    Mas já que pediram sugestões, aí vai uma:
    exame de proficiência obrigatório para o registro no conselho
    alguns acadêmicos de Odontologia não sabem ler direito (sem exagero!)

    Resposta
    • 14 de março de 2013 em 15:30
      Permalink

      Falou tudo!
      Também concordo que a desvalorização DA ODONTOLOGIA não é reversível.. e que vai ser cada vez pior.
      Acho que precisamos começar valorizando a nós mesmos! Um bom começo é parar de atender convênios! Fiz isso nesse ano e posso dizer que trabalho bem mais feliz, pois sei que estou recebendo um preço JUSTO pelo trabalho que estou tendo! Antes eu ia dormir me sentindo uma tremenda palhaça por ficar horas sentada no mocho pra ganhar uma miséria…
      Além de exame de proficiência seria preciso parar com a criação de novas faculdades. Mas não sei se isso um dia será possível…

      Resposta
  • 15 de março de 2013 em 15:31
    Permalink

    Sem dúvidas, foi o melhor post que vi no seu blog, foi posto o dedo na ferida. Até quem trabalha de forma decente é prejudicado por essa desvalorização de nossa profissão. A formação está cada vez pior, salva raras exceções. Presenciei algumas pessoas de baixo nivel cultural e intelectual ingressando na faculdade de Odontologia. Esses irão perpetuar o baixo nível de boa parte da nossa profissão. A causa é multifatorial, começa nos valores invertidos que são praticados pela sociedade nos dias de hoje, até o interesse de muitos em preservar este sistema nocivo para o próprio benefício. O exame de proficiência, como mencionou de forma muito feliz, o colega anteriormente, é de extrema valia. o nível de alguns dentistas chega a ser deprimente. Acreditem já presenciei dentista escrever OSSO com ?. Nossa profissão é categorizada, não sei exatamente quantas existiriam, mas o nosso foco deveria ser pautado pela decência. Cada um fazendo a sua parte.

    Resposta
  • 15 de março de 2013 em 23:05
    Permalink

    “Presenciei algumas pessoas de baixo nível cultural e intelectual ingressando na faculdade de Odontologia.”

    Só isso, Rafael?
    Eu presenciei alguns JUMENTOS ingressando na faculdade de Odontologia. Até em públicas, apesar da grande maioria estar nas particulares.
    Exame de proficiência obrigatório, já!!!
    E mais, podem até instituir algum exame para formados também.

    Resposta
  • 12 de maio de 2013 em 21:13
    Permalink

    Na verdade creio também que a desvalorização é irreversível não somente por haver profissionais que se vendem ao desbarato mas sim porque já está institucionalizada na forma do brasileiro pensar. O paciente paga pouco e exige demasiado numa país onde a quantidade de profissionais ultrapassam todas as marcas. As entidades de classe que deveriam já há muito ter instituído o exame da ordem como no caso da OAB…Dessa forma separávamos os estudantes dos profissionais. O recem formado, dada a heterogeneidade do ensino no Brasil, deveria ser escrutinado pelo CFO. Mas na minha opinião dada a quantidade extrema de profissionais, deveria nesse exame existir numero clausus como no caso da França. Outra situação é o MEC começar a fechar perentoriamente os cursos de baixo nível.

    Foi dito em alguns dos comentários sobre a tabela de preços mínimo, eu creio ser contra a lei este tipo de coisa pois vai contra a livre concorrência. Mas ha possibilidade de processar os dentistas que cobram preços absurdamente baixos, baseando-se na lei antidumping, lei na qual os convênios também seriam enquadrados.

    O Brasil será uma grande clinica popular, bem vinda a classe E

    Resposta
  • 14 de abril de 2016 em 15:36
    Permalink

    Boa tarde, sou estudante de odontologia e estou no último ano do curso. Fico muito triste com toda essa situação. Ao pensar sobre o assunto chego a conclusão de que essa desvalorização é um reflexo da formação dos profissionais. Vejo uma formação técnica, sem um enfoque paciente por completo, o que ao meu ver gera um pensamento de dispensável pois “só cuidamos da boca” ou melhor dos dentes. Muitos, devido ao despreparo ou falta de confiança e experiência acabam se sujeitando a toda essa desvalorização. Além disso, o próprio sistema de saúde brasileiro trata a saúde bucal como descartável, como se todos pudessem viver sem dentes, e câncer e outras lesões bucais fossem incomuns e não necessitassem de atenção. Os termos “colocar uma massinha no dente” ficaram comuns demais. Não cuidamos de dentes. Cuidamos da saúde geral do paciente, aplicada ao sistema estomatognático.

    Resposta
  • Pingback: Dentais, vendam só pra dentistas - Vida de Dentista

  • 30 de agosto de 2016 em 00:08
    Permalink

    A situação que hoje vive a odontologia levou cerca de 25 anos para se instalar e consolidar. É resultante de uma série de fatores políticos e econômicos. Entretanto, os últimos 13 anos foram especialmente nocivos já que todo o planejamento do Governo foi realizado para se alcançar o desfecho que hoje vivemos. Em outras palavras, provocaram o desmonte da saúde como atividade liberal. O tema é amplo e complexo porém o importante é saber que sua reversão é possível. Depende entretanto de alcançarmos nas ações de resgate a mesma profundida daquelas que nos trouxeram até aqui. Não serão discussões sobre cobrar ou não consulta ou a remuneração oferecida pelas operadoras de saúde que poderão transformar esse cenário. É preciso algo muito maior, são necessárias politicas de saúde que restaurem o carater liberal da profissão. Quando isso acontecer, teremos resolvido tudo!!!

    Resposta
  • 26 de dezembro de 2016 em 19:27
    Permalink

    “SOU CIRURGIÃO DENTISTA Vamos falar do nosso futuro” A odontologia tem suas características bem definidas, não temos como na Medicina um leque aberto de possibilidades são 53 especialidades e cada vez aparecem novidades, na medicina um Oftalmologista não faz Ginecologia, um Ortopedista não faz Cardiologia e vai por ai, na odontologia são 23 e cada vez o leque de especialidades se aperta, algumas especialidades não tem uma expressão em quantidade de usuários como a Acupuntura, Homeopatia e outras, a maioria dos CDs tem que atuar em várias especialidades para manter uma renda, exceto algumas como a CBMF a nível hospitalar, hoje quem está situado na “Pirâmide do mercado odontológico” no topo não está se incomodando, o problema é que a base da pirâmide e extensa e atinge a maioria, então o que fazer? no meu modo de pensar primeiro, a analise de mercado tem que estar bem definida para cada CD, segundo informação, terceiro informação, quarto informação, após todos estarem bem informados a Odontologia tomara outros rumos, poderá se fazer projetos de Valorização, projetos de Negociação, projetos de Nova grade Curricular para nosso futuros colegas. O futuro se planeja agora.

    Resposta
    • 30 de janeiro de 2017 em 15:29
      Permalink

      Não tem futuro…..as políticas de saúde já acabaram com a cárie,os edentados usam programas de saúde social(prefeituras e outros convênios), quem tem dinheiro p pagar um dentista particular não tem nada p fazer na boca(um clareamento tlvez). O número de faculdades cada vez aumenta mais ,estas por sua vez,necessitam de cobaias……vc vai competir com uma instituição dessas??detalhe: é de graça…….

      Resposta
  • 30 de janeiro de 2017 em 11:37
    Permalink

    Tenho filha recem-formada.
    Investi na sua formação educacional e vou investir em equipamentos odontológicos.
    Condição: Exercer a profissão com dignidade,ética, respeito aos pacientes,principalmente olhando como profissão de saúde,o que vier é consequência.
    Aos 35 anos de odontologia nunca me arrependi um só minuto de exerce-lá.
    Hoje,lamento pela desvalorização que impuseram a odontologia.Lamentável! !!!

    Resposta
  • 30 de janeiro de 2017 em 15:05
    Permalink

    Traduziu todo o meu sentimento de hoje, um dia em especial que estou um tanto desestimulada”…paguei já este mês uma soma exorbitante entre taxas e taxas para manter uma clínica em pé *. Sempre fui uma.colega que encorajou a acreditar na profissão. Hoje sou eu quem precisa deste apoio…deste estímulo. Me vejo num.barco naufragando e todos nós simplesmente assistindo de camarote!!!
    Aliás, camarote visto de fora pelos outros porque na verdade cada qual se encontra na sua mísera sobrevivência mas muitos preferem calar a boca. (Desculpe!!!!)
    Mas o que preciso saber é por onde podemos começar.. . Grupos de está ao já foram formados , já temos contratos para uma possível união da classe.mas e Agora? O que vamos fazer? Sentar e assistir?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *