O dia que cogitei abandonar a Odontologia

Hoje passei por uma situação desagradabilíssima no consultório ao ter minha conduta questionada pela mãe de um paciente. Ela questionou o porque da remoção dos arcos ortodônticos de seu filho, os quais removi para que ele pudesse (ou pelo menos tentasse) melhorar a condição higiênica de sua boca, que se encontrava em um estágio lamentável de descuido e com a gengivite já instalada. Segundo ela, o filho sem os arcos “perderia tudo que tinha feito até agora no tratamento pois os dentes voltariam a entortar“.

Desgostoso com essa situação fiz uma postagem na fanpage do Vida de Dentista no Facebook e devido ao altíssimo número de curtidas (confira a postagem aqui) vi que eu precisava falar mais sobre isso aqui no blog.

Enquanto eu redigia o post ela voltou ao meu consultório, nervosa, dizendo que iria interromper o tratamento do filho e da filha (trato dos dois irmãos) avisando que o filho disse que não mais colocará os pés aqui. O motivo desse faniquito do rapaz é que eu disse que ele não estava escovando e usando o fio dental corretamente. Pra piorar disse que não vai pagar a multa por abandono de tratamento, prevista em contrato, alegando que “pra mim esse dinheiro não vai fazer falta“.

Exercendo a tal da “paciência de um monge” daquele ditado odontológico antigo eu ouvi a desgraça pelada mãe novamente questionar minha conduta. Ela falou um monte. Mas UM MONTE. Aproveitei que a filha, aquela que também é minha paciente, a acompanhava e pedi a ela que mostrasse os dente para a mãe. Mostrei ali, com um exemplo irrefutável, que quando o paciente cuida ele não incha e sangra gengiva, ele não tem cárie e por conseguinte, não precisa remover arcos e interromper tratamentos. Mas ela estava cega. Só sabia dizer que não pagaria a multa. Chegou ao cúmulo do ridículo de tentar me convencer a não cobrar a multa pois caso contrário eles não teriam o que comer.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  • 656
  • 15
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  

Comente

Comentários

48 comentários em “O dia que cogitei abandonar a Odontologia

  • 21 de janeiro de 2013 em 21:59
    Permalink

    vc não vai desistir, mas que isso é um porre é, eu estou largando a ortodontia de lado devido aos inúmeros calotes, prefiro não fazer a não receber, faço só para pacientes conhecidos e tratamentos curtos. Ficamos nas mãos dessas pessoas que na verdade nunca se incomodaram com a boca e querem que nós façamos milagre.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:00
    Permalink

    Já passei por isso inúmeras vezes, até comecei a pedir para meus pacientes assinarem o contrato e ir ao cartório reconhecer a assinatura, melhorou um pouco, assim posso dizer ao paciente que como ele reconhece em cartório que não leu o contrato? E vou começar a protestar quem desistiu do tratamento! Mas todas as profissões tem seus dias ruins, melhor do que um chefe gritando na sua orelha!!!!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:02
    Permalink

    Cara, é nessas horas que da vontade de mandar o paciente ir embora, independente de ganhar ou não a multa. Só para evitar essas dores de cabeça. Será que a mãe em sã consciência não vê o estado da boca do cidadão? ? a hora que dá vontade de falar: eu escovo os dentes dele todos os dias? Enfim… apesar dos pesares, amo minha profissão e hoje por sinal, fui bastante elogiado por alguns pacientes, e digo de coração aberto: NADA MELHOR QUE O RECONHECIMENTO!!!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:04
    Permalink

    ja tive pacientes assim (2) quando disseram que iam desistir do tratamento eu fiquei feliz em remover o aparelho! hehehehehehehehehehehehe… e nao cobrei nada! melhor coisa que fiz foi isso. esses dois pcts me ensinaram a cobrar mais pelo tratamento e me valorizar. e foi a melhor coisa que fiz na vida, agente tem que agradecer qdo pessoas assim passam pelo nosso consultorio, pois ai vc ve como elas são e faz agente repensar se estamos atendendo os pacientes que sonhamos (com relação aeducacao e classe social)

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:06
    Permalink

    Todos nós estamos sujeitos a ter um dia ruim na vida e na profissão. Considere que este é um caso isolado, olhe ao redor e veja que vc deve ter mais pacientes colaboradores, cuidadosos e corretos do que o filho desta senhora. Se quiserem ir, deixe-os, cobre o que é seu por direito e vida que segue.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:07
    Permalink

    Lamentável.
    Que Deus realmente te dê forças para continuar na caminhada.
    Isso é culpa da nossa cultura mesmo.
    Falta de mudança de mentalidade.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:09
    Permalink

    Olha… Já perdi a conta das situações de extrema frustação que certos clientes nos fazem passar.
    Já se vão 21 anos de profissão, e tenho que admitir que já faz algum tempo que me desgostei da profissão.
    Dentista é gente! Come, paga contas… Não pode viver das famosas "olhadinhas" e não faz magica!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:09
    Permalink

    Não desiste, em todas as profissões passamos por momentos assim.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:22
    Permalink

    ? colega, de uma forma ou de outra, todos nós Dentistas passamos por situações no mínimo estressantes. Trabalho em Hospital Público, setor de urgência e já fui destratado de todas as formas, por não me submeter a ignorância de certas mães, pais e pacientes.Esquenta não.Faça o seu melhor e durma tranquilo.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:23
    Permalink

    Querido Galo: eu já passei por isso e concordo em número, gênero, grau e complexidade com o que disse. ? frustrante! ? inaceitável! ? inadmissível!
    O bom é que nem todos os pacientes são assim e, pelos bons, a gente se anima em continuar.
    Pense nisso! 😉

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:28
    Permalink

    Olá… entendo exatamente o que está passando e sentindo! Também já passei por situações difíceis e desanimadoras. Até preconceito por aparentar ser mais nova do que sou já sofri e as pessoas dizerem na minha cara que não tenho tal competência para realizar o tratamento por causa da ” aparência de menininha”.. enfim.. mas fugir, abandonar não vai resolver o problema. Acredito que todas as profissões são complicadas nesse sentido. Lidar com as pessoas não é fácil. Todas a profissões tem pessoas que desvalorizam o trabalho.. portanto amigo, acredite na sua competência e pacientes assim é melhor não te-los… dormir com a consciência tranquila de que fez um ótimo trabalho… abraço

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:30
    Permalink

    Acho que a culpa de acontecerem coisas como essa em nossos consultórios também é nossa, sim, nós dentistas estamos compactuando com a desvalorização de nossa profissão. Quando as Lojas Marisa oferecem um convênio odontológico por R$ 19,99 a culpa é nossa, quando “colegas” vão à televisão anunciar que fazem tratamentos com “aparelho de graça”, a culpa é nossa, quando dentistas oferecem seus serviços de “clareamento” no salão de beleza da esquina a culpa é nossa e por aí vai…faz tempo que estamos sofrendo uma desvalorização imensa da nossa profissão. Eu sou Odontopediatra e já atendi muitas crianças com a mãe do lado olhando cada procedimento que eu fazia (tenho 31 anos de formada) com cara de desconfiança.
    Enfim, se continuarmos a deixar que isso aconteça nossa profissão continuará ladeira abaixo…faz tempo que falta união à nossa classe, que falta atitude a nossas entidades de classe para ajudar a voltar a valorizar a Odontologia.
    Enfim, faz tempo que precisamos nos unir e fazer alguma coisa senão acabaremos todos oferecendo nossos serviços de graça ou a R$ 1,99…

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:48
    Permalink

    Foi bom vc tocar neste assunto, abri consultório agora e não sei como fazer este contrato ortodôntico.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 20:52
    Permalink

    ?s vezes é melhor abrir mão de uma multa do que ter dor de cabeça… sei que está no seu direito, mas nesses casos prefiro não recebê-la pra que o paciente suma mesmo!! 😉

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:57
    Permalink

    e triste os pais acham que o dentista e responsavel pela escovação de seus filhos que nao e bem assim o dentista tem que instruir como escovar e passar o fio dental mas ele nao e responsavel pela falta de higiene do paciente ….. lamentável que deus te de força e sabedoria para continuar na caminhada não desista vc lutou para chegar a onde esta ….

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 22:58
    Permalink

    O segredo é se impor e abstrair quanto às opiniões alheias de pessoas que não são dotadas de cultura, nem tão pouco conhecimento intelectual para tal situação. Eu não costumo discutir nem perder meu precioso tempo com pessoas que acham que sabem mais que nós profissionais. Não quer mais o tratamento? ?timo! Paciente problemático a menos é lucro! E bola pra frente! Faça a sua parte com muito profissionalismo e seja sempre ético que tudo irá fluir corretamente ou mais convenientemente, digamos assim. Boa sorte!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:01
    Permalink

    Sao na adversidades que nos tornamos melhores e capazes de recebermos incubencias maiores e valorosas,nao e o primeiro e nao será o ultimo se apegue a tudo de bom que já tem feito em seu trabalho diário isso sim e o que importa !

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:04
    Permalink

    Pelo visto não sou a única a passar por isso.. Uma colega estava grávida e eu fui dar uma força no consultório dela atendendo os pacientes de orto, eis que aparece uma paciente que não ia no consultório há meses.. recomendei que fizesse uma raspagem, pois havia muito cálculo subgengival, sangramento.. a paciente achou super ruim e não quer mais ser atendida por mim, e reclamou um monte para a secretária. Oras, não era minha obrigação como dentista alertá-la? Esse povo tá ficando doido, depois o dente cai e eles vem torrar a nossa paciência.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:04
    Permalink

    Pelo visto não sou a única a passar por isso.. Uma colega estava grávida e eu fui dar uma força no consultório dela atendendo os pacientes de orto, eis que aparece uma paciente que não ia no consultório há meses.. recomendei que fizesse uma raspagem, pois havia muito cálculo subgengival, sangramento.. a paciente achou super ruim e não quer mais ser atendida por mim, e reclamou um monte para a secretária. Oras, não era minha obrigação como dentista alertá-la? Esse povo tá ficando doido, depois o dente cai e eles vem torrar a nossa paciência.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:09
    Permalink

    Meus professores de perio, na faculdade, diziam pra gente que "paciente que não escova os dentes é paciente que o dentista não soube motivar para tal". Pra mim, isso é balela. A partir do momento que eu oriento e supervisiono, cabe ao paciente fazer a parte dele. Eu acredito, sim, na co-responsabilidade, mas assumir que higiene pessoal é papel de dentista é como dizer que a escola é responsável pela educação do seu filho. E não é.

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:13
    Permalink

    E isso eh motivo pra querer desistir? Nao deveria ser, sendo que nao vai ser a primeira nem a ultima vez que voce passara por constrangimentos como esse! Segue em frente! 🙂

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:38
    Permalink

    Uma paciente chegou uma vez para fazer avaliação na clínica onde trabalho, e saiu de lá revoltada porque eu falei para ela que ela estava com cárie. Ligou para lá, falou um monte, quis ser atendida por um outro profissional e depois veio me pedir para fazer um laudo dos elementos cariados para que ela levasse para o outro dentista, pois o mesmo havia pedido. ? dureza…

    Resposta
    • 22 de janeiro de 2013 em 01:07
      Permalink

      Acho que ela quer confrontar seu laudo com o de outro dentista (nem sempre colega) e depois lhe processar.

      Resposta
    • 28 de janeiro de 2013 em 03:02
      Permalink

      Me processar? Não teria como já que a cárie estava bem visível tanto clinicamente quanto radiograficamente. Minha vontade foi de perguntar se o tal dentista era cego.

      Resposta
    • 28 de janeiro de 2013 em 03:03
      Permalink

      Aline, minha vontade foi realmente essa, mas tenho aprendido a me controlar. Agora apenas abstraio. Não vale o estresse.

      Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 21:51
    Permalink

    Meu caro,

    Imagine como é na Odontopediatria! Diariamente tento mostrar aos pais que é deles a responsabilidade de cuidar da higiene dos filhos. “Ah, mas ele (a) não deixa; dá muito trabalho!” SIM, mas é dever do pai e da mãe assumir esse trabalho e cuidar dos filhos.
    Não desista!
    A Odontologia carece de profissionais determinados e que não desistem diante das dificuldades.
    Tamo junto!

    Abraço do Tio!

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 21:56
    Permalink

    ? a mesma coisa que acontece com os professores quando os alunos tiram notas baixas.
    Quantas vezes já vi minha mãe reclamar porque a mãe do fulano chegou na escola aos berros perguntando “porque meu filho tirou 3,0 em portugues”?
    Dias desses eu também passei por isso. Um paciente totalmente sem condições pra fazer manutenção do aparelho, com cáries, canais, extrações pra fazer… e quando eu cogitei a ideia de tirar os arcos para ele terminar o tratamento, o menino pulou atrás, disse que não queria porque ia viajar, e queria viajar de aparelho!
    Fui obrigada a fazer a manutenção pois a clínica não é minha. Mas eu falei muito… que ele estava preocupado apenas com a estética, mas o que ele necessitava era cuidar da saúde! Que desse jeito o aparelho ao invés de ajudar estava prejudicando-o. E se ele continuasse nesse pensamento, daqui uns dias não ia ter mais nenhum dente onde pudesse colocar o aparelho.
    Mas é triste quando vc não pode fazer o que é melhor para os pacientes… =/

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 00:16
    Permalink

    Falar em abandonar a Odontologia é muita auto piedade. Todos os profissionais enfrentam esses problemas no dia-a-dia os leigos insistem em achar que sabem mais, as informações erradas da internet ajudam muito e os pacientes estão cada vez mais na defensiva e se irritam com tudo, e não é só na Odontologia, é na Medicina, é na Enfermagem. Parem de Drama.

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 00:21
    Permalink

    Uma vez uma paciente me xingou porque aferi sua pressao arterial e a mesma estava incrivelmente alta. Eu disse para ela que eu nao faria o tratamento se ela nao fosse no cardiologista. Ela ficou enfurecida, disse que eu era uma chata exagerada e que procuraria um outro dentista que fizesse o tratamento. Tb me chamou de incompetente. Vem ca, a gente quer zelar pela saude da pessoa e leva xingo? Coloquei ela pra fora.
    No seu caso, sua conduta foi a de zelar pelo tratamento do paciente seguindo as condutas eticas e tecnicas que deve seguir. O que ha errado nisso? N A D A ! Pelo contrario, parabens pela sua conduta. Aposto que ela vai encontrar um dentista que faca o tratamento na boca porca do paciente. Que encontre, vc fez o que era certo, deite sua cabeca tranquilo no travesseiro e peca para Deus te distanciar dos pacientes ignorantes! [] s pra vc!

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 00:54
    Permalink

    Como disse , a Educação vem de casa.Imagina como ela deve ser com os professores também…….garanto que o filho dessa senhora deve dar um trabalho danado na escola.Com certeza será um adulto problemático!!!!!Continue sendo esse ótimo profissional.Faça a sua parte e não seja derrotado, por pessoas insignificantes como esta.Força divina!!Abç; Paulo Rogério Bagdanas

    Resposta
  • 21 de janeiro de 2013 em 23:41
    Permalink

    Sei bem o q vc ta sentindo. Eu estou odiando ser dentista. O q me ajuda a adiar a dedistencia eh saber q em td profissao vc pode ser humilhado por qualquer babaca. A ignorancia eh triste pois a pessoa n quer se informar, quer apenas gritar pra ver se ganha algum dinheiro para q n tenha q pagar (literalmente) pela propria burrice…..

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 01:09
    Permalink

    Caro colega
    Vejo a situação como grave. Pode dar sorte de não receber um processo. Nome caso, coloquei uma prótese provisória na paciente, 12 elementos, fixa, substituindo uma antiga vencer, toda amarelada e infiltrada. Oriente-a por escrito a fazer todo o tratamento periodontal e endodôntico. Um ano depois ela aparece com a prótese quebrada e com os dentes cariados, resultado, me processou, processou o convênio. Consegui liminar do juiz para seus implantes e me pede R$ 200.000,00.pagou R$ 600,00 pela provisória. Hoje tenho uma puta assistência jurídica e pago seguro de responsabilidade civil. Ah, e escolho bem quem qui atender e mando assinar tudo. Até se se comprometeu a escovar etc. Beijos a todos!

    Resposta
    • 22 de janeiro de 2013 em 11:32
      Permalink

      ? muita sem vergonhice!Duzentos paus?Garanto que quando ela chegou no seu consultório,vc argumentou que iria quebrar um galho para ela não ficar banguela.No meu caso,realizei a exo da raiz do 14 e ao lado tinha uma provisória dependurada que,claro,soltou e não tinha como colocar de volta;Meses depois recebo a intimação.Acredita que ela conseguiu um laudo médico AFIRMANDO que eu tinha causado transtorno psicológico na dita cuja e que isso causou a perda de TODOS os seus dentes,sendo que o que ela tinha eram alguma raízes e um provisório todo podre?

      Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 09:03
    Permalink

    Os pais dessa geração têm filhos muito cedo, de qualquer jeito e a desculpa que reina nos consultórios é de que “não tem como olhar os filhos porque trabalham”. Não tenho filhos e nem é minha intenção, mas se tivesse teria de me desdobrar para dar a atenção devida. Se tem o moleque, se vira pra dar apoio e coloca gerência em casa. Já que teve, agora aguenta o tranco.
    Outro problema é o suposto “esclarecimento” que os pais dizem ter hoje em dia, do tipo que sabem seus direitos e já chegam derramando bobagens jurídicas caso os coloquemos contra a parede por não conseguirem educar os filhos quanto à higiene bucal. Já chegaram a me dizer que “EU” sou responsável pela gengivite do suíno que chamam de filho: o guri chegou fedendo suvaco vencido, despenteado e com pé de TODDY sujando minha cadeira. Eu que não vou dar banho no porco.
    COMPLEMENTANDO O TEXTO, HIGIENE, MORAL E VERGONHA NA CARA VEM DO BER?O.

    Resposta
  • 22 de janeiro de 2013 em 11:39
    Permalink

    Virou ofensa mandar escovar os dentes.Sexta feira chegaram mãe e filha(,que tinham agendado,portanto deveriam estar com os dentes limpos)comendo pastel e tomando sorvete,emporcalhando toda a recepção.Argumentei que ali não era lugar de comer e sabendo da consulta,deveriam deixar para comer depois.Foram embora me chamando de fresco na frente de todos…

    Resposta
  • 23 de janeiro de 2013 em 08:40
    Permalink

    Bom eu desisti! De tudo! Aturar tudo isso ganhando pouco é humilhante. Aliás a sensacao que tinha fazendo odontologia era de humilhacao. Larguei emprego público e consultório e voltei para o cursinho vestibular. A minha surpresa é que na sala em que estudava praticamente só tinha dentista . Descutíamos até casos.RSRSRS. Hj estou fazendo medicina. São os mesmos problemas com apenas uma unica diferenca: remuneracao. Se voce pensa em largar nao desista. Largue! Foi a melhor decisao da minha vida. E outros que largaram nao se arrependeram. da minha turma de formado ja temos atores, medicos, engenheiros, administradores, func pub. ‘E gritante a diferenca de nivel de vida! Quem precisar de uma forca entre em contato.

    Resposta
  • 25 de janeiro de 2013 em 22:00
    Permalink

    nao é só ortodontista que passa por isso , clinico geral tbm , aja paciencia .Ja tive varias vezes por desistir !, mas estou aguentando firme !!!

    Resposta
  • 20 de março de 2013 em 19:59
    Permalink

    O problema, é que nós, dentistas, somos muitos bonzinhos, passivos, amigos, com nossos pacientes. Chega de ficar sendo refem, de ficar com medo do paciente. Mudamos muito a rotina da clinica, os faturamentos aumentaram, proporcionalmente, à racionalidade, e à educação do paciente. Paciente chega brigando, falando merda, leva pedrada também. Só há respeito, há quem impõe respeito também. Faltou a consulta, marca pro m?s que vem. Assim, criamos uma rede de pacientes que são hiper gente boa, e estão dispostos a pagar pelo tratamento. Paciente ignorante, é tratato com ignorância também.

    Resposta
  • 10 de dezembro de 2013 em 14:13
    Permalink

    Camila Horto vc é uma excelente profissional, tenho orgulho de ser seu paciente mas infelizmente em toda profissão existe stress, eu como taxista passo todos os dias por situações terríveis tb, mas peço a Deus sempre pra me dar sabedoria e me livrar desses contratempos!!!

    Resposta
  • 3 de fevereiro de 2014 em 17:14
    Permalink

    Não sou Ortodontista , mas sou do tempo em que todo procedimento era cobrado, formei em 1976. Isso ocorre pelo motivo de não se pagar a instalação dos aparelhos , pois nessa fase já seleciona quem pode ou não pode pagar,e não se colocava aparelhos em bocas que não tivesse rigorosamente tratada tanto quanto a dentistica como na periodontia, mas com o aparecimento de "ortondontistas " que fazem tudo pelas mensalidades isso passou a ser rotina e a odontologia como um todo passa por isso em todas as áreas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *