OS ESPECIALISTAS – O ORTODONTISTA

freio de burroEu nunca quis fazer especialização em ortodontia. Nem lembro o nome do professor de Orto na graduação. Eu me lembro de detestar cefalometria (e não me lembro mais onde é o pogônio), e lembro que toda a ortodontia que a gente fez era Placa de Hawley, Botão de Nance e banda alça. Paguei um amigo pra fazer meu quadrihélice pra prova final e estudei extração seriada. Daí depois de formada e trabalhando, os dentistas pra quem eu presto serviço começaram a me encher por causa do leve (NOT) apinhamento inferior. “Ah, como você vai indicar tratamento ortodôntico pros seus pacientes se os SEUS dentes são tortos?  Ô SACO.

E assim eu, que nunca pensei em fazer orto, virei paciente, e daquelas chatas. Não quis fazer extração de um incisivo, e minha ortodontista (Adriana Martins, te dedico!) fez o tratamento fazendo slice até que os dentes entrassem no arco e depois de muita luta pra girar os caninos eu finalmente tirei o aparelho. E os anjos cantam glória! Escrevo esse texto após 3 dias de remoção do meu aparelho inferior, com uma contenção higiênica destruindo minha língua. Então, ortodontistas, entendam: Não tou amando muito vocês no momento.

Quando o paciente vai montar o aparelho é aquela euforia, né? Liga 15 vezes por semana pro consultório pra saber se a documentação chegou, ela chega e ele fica alucicrazy pra montar o bendito. Daí monta e passa mais 15 dias enchendo o saco pra falar que tá machucando. Come quilos de cera ortodôntica, daí passa a fase de adaptação com os brackets e começa a fase da quebradeira. Ô Dotôr, meus blek quebrou quando eu tava tomando café (ou água, ou {insira aqui a sua desculpa.})É. Leva um tempo até o paciente realmente entender o que dá pra comer ou não. Alguns deles nunca entendem, mas enfim.

Depois do alinhamento começa a fase do questionamento: “Uai, é só trocar borrachinha? Não vai trocar o fio? Não, não tem que trocar o fio TODA VEZ. A ortodontia funciona baseada na força exercida pelo pacote bracket+fio+elástico. O bracket não deforma, o fio só se o dentista deformar ou se o paciente for um ogro, e então o elástico que perde sua força tem que ser trocado, preferencialmente uma vez por mês. Toda essa força e movimentação tem que ser friamente calculada pra não causar reabsorção de dentes, nem perda óssea, nem qualquer outra iatrogenia. Então tenha PACIÊNCIA, querido paciente. Tratamento ortodôntico não é fritar pastel.

Obviamente nem todo paciente é imprudente no tratamento. Tem gente que colabora, mesmo que passe por aparatos meio desconfortáveis, tipo elásticos de classe II ou III, tracionamentos, aparelhos auxiliares tipo Hyrax ou um Bionator da vida. Eu usei levantes nos 2ºs molares durante todo o tratamento, e olha, NÃO É GOSTOSO. Graças a eles eu tive o pior porre da minha vida, mas essa é outra estória. Enfim, ser ortodontista não é fácil mas ser paciente também não é bolinho. Graças ao desenvolvimento da tecnologia, até o pavoroso AEB “conhecido carinhosamente como FREIO DE BURRO- tem sido preterido no lugar dos mini-implantes, fato esse que faz com que nossas crianças mais felizes, sofrendo menos bullying na escola e beijando mais na boca. Amém.

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  • 536
  • 20
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  

Comente

Comentários

25 comentários em “OS ESPECIALISTAS – O ORTODONTISTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *