SOS – A Odontologia pede socorro

socorroAcabo de chegar de Belo Horizonte onde fui conhecer o maior evento da Odontologia do meu estado, que aliás se encerra hoje, o CIOMIG. Sinceramente falando, me decepcionei muito, e percebi lá, que mesmo sendo um “nada”, eu precisava chamar a atenção aqui no blog  para o fato de que a Odontologia pede socorro. Com direito a um gigante “SOS” estampado na nossa testa.

A diferença é que a sigla, ao invés do tradicional inglês “save our souls”, berra num português claríssimo a palavra que ela própria forma, acrescida apenas de um acento tão agudo quanto a minha indignação:

S?S. Nós dentistas estamos sós.

Quem me conhece sabe que não sou de ficar aqui choramingando. Pelo contrário. Tento fazer aqui no Vida de Dentista um pouco de humor para tornar mais felizes os dias do cirurgião-dentista que, quase sempre, não tem motivos para rir da sua profissão. Até por isso peço que você leia todo o texto antes de mudar de página.

Esse CIOMIG, que eu pensava ser um evento de grande porte, não passa de uma “jornadinha” muito da cara (R$ 400 reais a adesão para não sócios da ABO-MG), onde os próprios freqüentadores e palestrantes se mostravam indignados com a absurda falta de organização que imperava lá. Fui como convidado de um dos expositores, a Angelus, mas se ninguém me convidasse eu entraria do mesmo jeito. Ninguém pediu meu nome. Eu cheguei e entrei.

Ok, talvez eu esteja assim desiludido por fazer a inevitável comparação entre o CIOMIG e o CIOSP, realizado na capital paulista em Janeiro último e que é um primor de qualidade e organização. Mas não. Que fique claro aqui que eu, em momento nenhum, imaginei encontrar uma estrutura parecida, apenas, proporcional.

Eu poderia ficar aqui um dia todo descendo a lenha na ABO-MG e no péssimo local onde ela resolveu montar seu maior evento. O Minascentro além de não fornecer um mínimo de conforto (ar-condicionado só existia nas salas de palestra)  não possui nenhuma estrutura para receber portadores de necessidades especiais ou dificuldade de locomoção. A área da feira comercial, onde cerca de 40 stands disputavam a atenção dos poucos corajosos que por ali passavam, é lotada de degraus. Não havia sequer um carpete no chão para padronizar o piso ou, pelo menos, para esconder a fiação que corria junto a ele.

Sim, haviam muitos problemas estruturais, mas o que mais me espanta é a falta de atenção que a maioria das empresas odontológicas nos dão. O dentista é tratado como um mendigo, que está ali só para receber seus vale-brindes. Não somos em momento algum vistos como a parte mais importante da engrenagem odontológica. Como quem realmente faz essas empresas ganharem dinheiro. Somos, aos olhos da maioria delas, os idiotas que compram deles o ano inteiro, trabalhando feito camelos para alavancar suas marcas e nomes e que, em troca, aceitam uma vez por ano meia dúzia de tubos de creme dental como recompensa.

O foda é saber que a culpa disso é nossa. O mais foda é saber que isso acontece faz muito tempo e que ninguém importante se posiciona. Nenhuma entidade de classe realmente defende os nossos interesses. A máfia comanda. Para a maioria das empresas, é mais fácil (e bem mais barato) investir na permanência daquela meia dúzia de velhos dinossauros da odontologia em seus cargos de chefia. O jogo de cartas marcadas é evidente e nojento. Esses mesmos velhos que comandam as entidades de classe e conselhos regionais e federal de Odontologia, um dia até a exerceram, mas talvez hoje  nem saibam por onde andam os seus diplomas.

Saindo do CIOMIG, fui me encontrar com minha irmã em uma feira de produtos farmacêuticos que acontecia simultaneamente no ExpoMinas. Além de ser um centro de eventos bem maior e mais decente (todo climatizado, sem degraus, etc…) percebia-se já na entrada a organização e o investimento alto que as empresas do ramo fizeram para agradar os “camelos” deles.

Vi, em menos de uma hora em que estive lá, serem sorteados aos farmacêuticos ali presentes um carro zero km, um mini-buggy e R$ 30 mil. Todos os stands tinham profissionais capacitados para atender aos visitantes, que mesmo leigos como eu, recebiam a mesma atenção e cuidado. O ambiente era agradável, cheio de locais para descanso e serviam com fartura a quem lá estava wisky, energético, cerveja, batida de frutas, refrigerante, sanduíches e canapés.

Sabem o que me ofereceram no CIOMIG ??? Nada. Nem um mísero copo d’água.

Pra não dizer que eu perdi a pernada, minha ida a BH valeu pelo encontro com o colega-blogueiro Léo Augusto e pela receptividade e cortesia com que fui recebido no stand da Angelus, que diga-se de passagem, era um dos mais bem localizados, organizados e bonitos, além de ser um dos pouquíssimos que respeitavam ali o dentista consumidor mantendo em seu stand alguém realmente preparado para orientar quem queria saber sobre os produtos à venda, no caso, a Dra. Janaína, cirurgiã-dentista e consultora técnica da empresa.

Finalizo implorando para que nós dentistas acordemos para a grande verdade. A de que somos apenas um bando de otários que se acotovelam em filas para pegar uma escova ou uma agendinha vagabunda, gentilmente “doadas” por empresas que ajudamos a fazer crescer (e ganhar muito $$$) todos os dias com nossas indicações.

Somos um rebanho domesticado ao extremo, capaz de se contentar com migalhas, mesmo quando somos tratados com desrespeito e desprezo pela maioria das empresas que nos fornecem (e caro) matéria prima para o trabalho diário. Cansa não ser valorizado. Pior. Cansa ser desvalorizado.

Ainda dá tempo para virar o jogo. Somos mais fracos mas somos maioria. Precisamos nos unir. E infelizmente sei que, nessa guerra, essa talvez seja a batalha mais difícil de se vencer. :(

 

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

33 comentários em “SOS – A Odontologia pede socorro

  • 26 de março de 2011 a 19:03
    Permalink

    Sabe que dois anos atrás fui ao COIC/ACDC e no intervalo entre uma palestra e outra fui passear pela feira comercial (menos de 20 expositores). Nesta época a Oral B estava lançando o creme dental “Pró-Saúde”.
    Fui até o stand da marca para conhecer o produto, saber indicação etc. A primeira coisa feita pela mocinha foi me dar um tubo da pasta e voltou a sentar na cadeira dela no fundo do cubículo.
    Chamei-a de volta e comecei indagá-la sobre o produto – ela espantada pelo meu interesse me explicou sobre o creme dental, falou da experiência q ela própria havia passado com ele e ao fim ainda me deu mais um tubinho “pelo meu interesse”.
    Infelizmente é isso, os dentistas esquecem de se atualizar, querem esmola (os brindes dos congressos), mas não querem o conhecimento (parar e indagar se vale a pena indicar/usar aquilo no paciente).
    As empresas acabam nos tratando como pedintes. E no fim, pelo meu prisma, acho que nem estão erradas.

    Responder
  • 26 de março de 2011 a 19:04
    Permalink

    clap clap clap palmas pra vc caro colega, vc relatou exatamente oq tentei te dizer ontem pelo twitter. Me sinto feliz de ler esse texto (mto bem escrito) e ver que eu já sabia disso tudo, mas fico triste pelos acadêmicos e recém formados que infelizmente não irão acreditar nesse post e ainda acreditam q podem salvar o mundo das cáries =/

    Responder
  • 26 de março de 2011 a 20:16
    Permalink

    Sou mineira mas moro atualmente no Pernambuco. Aqui não é muito diferente. Porém não somos mal atendendidos e desrespeitados apenas em congressos e feiras. O próprio CRO não respeita os dentistas. Quando precisamos de apoio, nos virão as costas, mas somos OBRIGADOS a votar naquela eleição ridicula e que aqui sempre se compõe pelos mesmos membros. Temos serios problemas com as chamadas “clinicas” populares, que são precárias, pra não falar nojentas. Eles ferem o código de ética da odontologia, anunciam preços, oferecem tratamentos grátis, mercantilizando a odontologia. E o CRO o que faz? NADA. Mesmo fazendo as denuncias e mandando os panfletos até escaneados por e-mail para a fiscalização não há ação. Como podemos então esperar que as empresas de produtos odontológicos nos respeitem e nos deêm mais que escovinhas e creminhos dentais se nem o nosso Conselho nos respeita? VAMOS NOS UNIR…

    Responder
  • 26 de março de 2011 a 22:16
    Permalink

    gostei de perceber a sua indignação….aqui, na PB, não é diferente… o difícil é essa união,conscientização por parte dos dentistas embusca de uma odontologia melhor….mas…vamos tentando….

    Responder
  • 27 de março de 2011 a 00:28
    Permalink

    Há alguns dias, os alunos de uma escola particular tradicional de SPaulo, fizeram um movimento via twitter pra que ninguém comprasse na cantina da escola que tinha aumentado o preço do pão de queijo de 2,00 para 2,70. No dia seguinte o diretor da escola estava ao vivo na Radio Jovem Pan explicando o tal movimento (ja contei isso no OdontoDivas).
    Não sei se solucionou, mas fez um barulho danado.
    Vamos usar dessa arma. Mobilização.
    Vou ao CIOSP há quase vinte anos e fiquei imaginando o CIOMIG.
    Sem soberba, o CIOSP já foi muito melhor. Deixava de atender para participar. Este ano fui no domingo às 16h e as 20h já estava em casa.
    A mudança este ano (era no Anhembi e passou para o Expo Center Norte), melhorou apenas na climatização. Não encontrei e stand que o colega vidadedentista estava a tempo de vê-lo.
    Alguns expositores parecem estar sofrendo ali.
    Poucos sabem a fundo sobre seus produtos. Querem vender e só!
    Alguma empresas como a 3M, por ex, nem foram. Estão tão sossegados com suas resinas Z100 a 75,00 e seu scothbond a mais de 100,00, que os “tontos” compram sem questionar, que dispensaram o evento.
    Hoje no supermercado tinha degustação de Danone, Pepsi e melancia, no Congresso, teve um ano que recebemos copos d’agua da Sabesp (envazada), e olhe lá!
    Isso não quer dizer que brindes ou sorteios sejam necessários, mas agradar o cliente faz parte.
    Eu que sou um grão de areia, compro escovas e presenteio meu cliente para agradá-lo e fidelizá-lo, e quando a minha está velha, pago por uma nova!
    Mas o que mais me indigna é ver que o Congresso só o é no nome.
    Em edições anteriores as empresas montavam pequenos hands-on ou workshops, onde demonstravam seus produtos, nos deixavam manipular e nos presenteavam com amostras para decidirmos depois a compra.
    Dentisply, 3M, TDV, pra falar de poucas.
    Quer maior absurdo que a Kavo, a Dabi, Gnatus etc. que não fazem nenhum tipo de agrado aos seus clientes.
    Alguém pode me dizer, quem compra as cadeiras deles além de nós???
    A grade de cursos está cada vez pior.
    Muito sobre implante e estética, mas pouco sobre Odontologia Social ou Clinica geral. Parece que todo mundo alí é especialista e que ninguém trata pessoas comuns, com necessidades básicas e sem grandes posses.
    A-DO-RO o que faço. AMO minha profissão, mas deixo este desabafo como alerta pra quem ta chegando agora.
    Desculpe Fabricio, se tomei muito do seu espaço, mas vc já me conhece um pouco pra saber que se tenho que falar…
    bjo bjo bjo

    Responder
    • 28 de março de 2011 a 20:09
      Permalink

      Eu acho que é por aí!!! poderíamos pensar em algo criativo que pudesse ser feito pela internet e que fizesse muito “barulho” para chamar a atenção da mídia, dos nossos conselhos de classe e até dos nossos colegas.
      Acho que criatividade não nos falta né?? rsrsrs
      Derrepente seria um início!!
      abraço!!

      Responder
  • 27 de março de 2011 a 08:29
    Permalink

    Caro colega me senti igual a vc neste congresso, vc relatou maravilhosamente o meu sentimento com relação a este congresso, e ao descaso com nós cirurgiões dentistas, que estamos atras não de brindes mais sim de conhecimentos. Fui ao CIOSP, e fiquei encantada com a atenção que recebi lá, mais aqui parecia mesmo q eu era uma mendiga.
    Parabens colega pelas suas palavras.

    Responder
  • 27 de março de 2011 a 12:32
    Permalink

    Uma palavra: BAH!!!
    Você está coberto de razão. Tava com saudades de textos seus assim.

    Responder
    • 28 de março de 2011 a 15:22
      Permalink

      Até eu tava com saudades, Marjo 😀

      Responder
  • 27 de março de 2011 a 18:58
    Permalink

    Parabéns pelo texto, amigo Fabricio! Cada vez melhor e é tudo verdade, sem exagero. Estou pra fazer um Post sobre o mesmo assunto. Somos os mendigos da área da Saúde mesmo. Falou bem!

    Responder
  • 27 de março de 2011 a 20:42
    Permalink

    PARAB?NS, vc disse tudooo!!
    Em todos os nossos cursos ressalto esse ponto de vista. Acho um absurdo a forma como as empresas relacionadas com a Odontologia tratam o profissional Dentista.
    ? inaceitável empresas como COLGATE, ORAL-B e outras, usarem nossos nomes e os nomes dos nossos conselhos de classe para faturarem milhões por mês, dizem que 4 em cada 5 dentistas indicam tal marca e são incapazes de colocarem um recadinho dizendo: “se os sintomas persistirem um Dentista deve ser procurado”. Pelo contrário, eles deixam bem claro que aquele produto é a salvação para tratar sensibilidade, proteger por 12 horas, clarear e etc. e que o tubinho de creme dental milagroso custa mais barato do que ir ao Dentista.

    Forte abraço!!!

    Responder
    • 28 de março de 2011 a 15:29
      Permalink

      Daniel … Exatamente essas duas aí que vc citou é que me enojam mais. :(

      Responder
    • 28 de março de 2011 a 19:45
      Permalink

      Isso é verdade Leo, as pessoas que trabalham na Odontologia como empresários faturam alto, podemos ver os Planos Odontológico, Franquias de Clínicas e etc. Nós dentistas temos que deixar um pouco de trabalhar apenas como Profissional técnico e passarmos a enxergar o mercado Odontológico de uma nova maneira.
      Abração!!

      Responder
      • 29 de março de 2011 a 10:33
        Permalink

        Odonto é um NEG?CIO … quem não enxergar isso vai ser engolido.

        Responder
  • 27 de março de 2011 a 23:29
    Permalink

    Eu realmente queria saber o que fazer para mudar esses problemas que assolam a odontologia. O que fazer pra sermos mais respeitados e valorizados? ? triste ouvir de uma paciente que ela faltou a consulta porque a manicure só tinha aquele horario pra atender ela naquela semana… ? triste ser desvalorizada por empresas que ajudamos a desenvolver, é praticamente uma propaganda gratuita o que fazemos. Estamos no caminho errado e algo precisa ser feito, algo precisamos fazer…

    Responder
    • 28 de março de 2011 a 19:57
      Permalink

      ? verdade Paula, eu fico muito triste, quando vejo nos editais de concursos públicos o salário do médico entre R$ 5.000,00 á 7.000,00 e o do Dentista entre R$ 800,00 à 1.500,00.
      Mas eu acho que agora estamos começando a perceber isso e tenho fé que conseguiremos reverter essa situação.
      Os Dentistas estão começando a perceber a importância da ética profissional, do marketing bem aplicado e etc. acho que estamos perto de começar uma mudança. (assim espero)
      Acho que o Fabricio foi muito feliz ao escrever esse post, pode ter sido um ponta-pé inicial!!!

      Responder
  • 28 de março de 2011 a 00:35
    Permalink

    N?S DENTISTA,REALMENTE PREOCULPADOS COM ISSO, DEVERÍAMOS FORMA GRUPOS DE TRABALHO ORGANIZADO E VOLUNTÁRIOS PARA FISCALIZAR NOSSA ODONTOLOGIA( CRO, SINDICATOS, COLEGAS,EMPRESAS, PLANOS DE SA?DO, ETC….). N?O PARA FAZER CONFUS?O, MAS SIM, PARA ENCONTRAR SOLU??ES!!! JUNTO OU N?O COM AS MESMAS! DER SUA OPINI?O!
    FICAMOS FECHADOS NO TRABALHO, SEM TEMPO! SEM CORAGEM, E AÍ? O QUE FAZER? N?O SEI N?O! TEM QUE TER MUUITA UNI?O!!!!KKKK…E A CONCORR?NCIA!? SABE QUE EXISTE BEM PR?XIMO DE CDA UM DE N?S. MAS BOLA PRA FRENTE, POSSO TAR ERRADA !

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 01:20
    Permalink

    Afirmo que o grande problema da odontologia está na qualidade doa docentes. Enquanto forem formados em cursos de Mestrado mensais ou pior ainda bimensais, jamais serão capacitados para orientar a transformação do aluno em um profissional ético e preparado tecnicamente para os desafios do mercado. Quem sucateou o ensino de pós-graduação ( leia-se ministro da educação ), autorizando mestrados e doutorados profissionalizantes para construir estatísticas infundadas de ascenção educacional do país deveria envergonhar-se do efeito provocado não somente sobre a odontologia como a todas as carreiras que a formação universitaria é decisiva. ? fato: maus professores formam maus alunos e maus profissionais. Por isso pagamos um
    preço tão alto…por isso é tão dificil mudarmos esse cenário tão profundamente corrompido. Ainda assim, we keep going….

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 11:40
    Permalink

    assino embaixo….estamos órfãos há muuuuito tempo…
    pena q os nossos dinossauros não se extinguem……

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 14:26
    Permalink

    Sábias palavras!!! clap clap

    Já li muitas coisas sobre odontologia, mas aqui me deparei com a verdade. Lamentável, triste, tudo isso que acabamos de ler. Podemos abaixar a cabeça e conformar com essa exploração…. ou levantar a cabeça , estufar o peito e gritar bem alto: Vamos fazer alguma coisa, Porr#r! …

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 15:36
    Permalink

    Na verdade isso tudo acontece por que os os orgaos responsaveis so servem para identificaçao do profissional, ETICA eles nao sabem o que isso, existe falha, quando querem aparecer fazem alguma materia que pegaram algum dentista clandestino, nao somos tao valorizado por que nos mesmo, vamos se unir…
    Ja nem se fala o piso salarial comparado aos medicos…
    A saude começa pela boca, a maioria das coisas entra por ali e as palavras saem por ali mesmo

    Somos muitos
    1+1= 2 e assim vai indo fazer uma campanha boa, eu to dentro e vc?

    Um por todos e todos pelos dentistas…

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 18:34
    Permalink

    ?s vezes, fico pensando: de que valeu ter feito Odontologia? Passar 4 anos longe de casa tendo despesas de moradia, transporte, livros, materiais, cursos, congressos… De que adiantou ter feito uma especialização caríssima? Valeu a pena tornar-me um profissional diferenciado?
    Como experiência de vida e amadurecimento pessoal, valeu cada centavo investido, cada momento vivido.
    O conhecimento que tenho hoje é útil, me permite ajudar alguém. Por isso, ainda valeu os sacrifícios.
    Mas, como realização profissional, não posso dizer o mesmo. Infelizmente!
    Eu ainda sonho com essa realização. Ainda sonho com uma Odontologia que se respeite e que seja respeitada. Procuro fazer minha parte. Sei que muitos também o fazem. E, assim, continuo sonhando…

    Responder
  • 28 de março de 2011 a 20:20
    Permalink

    Fui no CORIG no ano passado e foi muito bom… moro aqui em BH… e nem me dei o trabalho de ir no CIOMIG… percebi o quanto seria desastroso quando recebi no meu e-mail um apelo desesperado da coordenadora do meu curso, repassando o pedido de uma amiga dela (envolvida com a organização do evento)… para que fôssemos visitar o CIOMIG… e isso foi apenas no dia anterior ao início… nada foi muito diferente do que eu previa… uma grande MERD*…

    Responder
  • 29 de março de 2011 a 10:50
    Permalink

    Olá colegas,
    Já imaginava que o CIOMIG seria assim mesmo como no relato.
    Concordo com tudo o que foi dito até agora.
    Caro amigo Fabrício, em sua rápida visita em Belo Horizonte, faltou você passar pela rua Caetés no centro. Aí sim tenho certeza que iria cair pra trás.
    Para ser breve, nesta rua de muito movimento existem as tão faladas clínicas populares que oferecem prótese a 1/5 de salário. e restaurações a valores de meia entrada de cinema. Nessa rua também existem pessoas com placas de dentistas penduradas no pescoço gritando DENTISTA… OR?AMENTO SEM COMPROMISSO!!!! e isso se repete ao longo do dia. Existe também um dentista ainda mais criativo, que colocou uma mulher lá em baixo com essa placa e uma caixinha de som pendurada no pescoço também e segunrando 1 microfone gritando DENTISTA ainda mais alto. Assim que tiver uma folga, prometo fazer um vídeo e postar pra vocês verem.

    Dentre toda nossa classe, acredito que 100% acha ruim de toda essa situação.
    Desses 100% apenas 20% estão dispostos a fazerem algo pela classe.
    Se organizarmos essa minoria de 20% conseguimos atingir os outros e nos fortalecemos para mudar essa bagunça.
    Eu como sócio remido do sindicato de Belo Horizonte, posso me candidatar a um órgão de responsabilidade lá dentro. Pode não significar muita coisa, mas já é um começo para tirar essa velharada que não faz nada.

    Poderíamos criar uma lista de e-mails de todos os colegas e mandarmos e-mails para irmos conscientizando a todos. Todos relatos que eu vejo, eu sempre copio e mando pra todos dentistas da minha lista.

    Vamos parar de reclamar e realmente fazer algo para mudar isso!
    Contem comigo.

    gustavohdm@yahoo.com.br

    Responder
    • 29 de março de 2011 a 10:38
      Permalink

      Esse é o espírito Gustavo … alguém mais aí tá disposto a botar a boca no trombone ???

      Responder
  • 1 de abril de 2011 a 02:49
    Permalink

    Concordo com você ,

    eu na posição de univestirario me vejo quando formando um futuro muito obscuro para nossa querida profissão infelizmente .

    espero que varios outros CD com o mesmo pensamento que o seu , façam alguma coisa para melhorar a situação , mais pelo pouco que vejo nossa classe não vai se unir é numca , acredito que se depender só um poquinho da união da mesma numca veremos um movimento de peso.

    Abraços , seu blog é otimo.

    Responder
  • 12 de setembro de 2011 a 23:17
    Permalink

    Bem,estou de saco cheio de lêr e ouvir todo tipo de críticas neste sentido.
    Acredito que todo problema vem com a solução embutida… senhoras e senhores,voceis são a propria causa dessa depreciação!!! percebam à lógica do mercado (lei da oferta e procura).
    Hoje quem não tem um parente que é dentista? Daqui a pouca cuidaremos somente de dentistas,professores,advogados e concursados…
    Qualquer semi-analfabeto está cursando ‘universidade”,quem ganhava salário básico,acha muito ganhar r$ 1500,00,para trabalhar para esses convênios exploradores.Foi-se o tempo onde um “CD” era bem visto pela sociedade. Hoje o que vemos, são dentistas que mal sabem diagnósticar, ou indicar um tratmento adequadamente , alguns não sabem preencher uma moldagem e verificar seus péssimos preparos,daí vem um técnico e diz o que eles deveriam saber.São dependendes de seus tpds para simples tomadas de cores – pior e quando culpam os protéticos pelo seus fracassos… vamos lá,é para rir!!! Em relação a estas entidades, as mesmas são comandadas por quem? de novo: dentistas!!!quem cobra barato? dentistas. Até tatuagens valem mais que restaurações.
    Agora indignação é ver dentistas serem dados como idiotas,bichas,fálidos,mal amados,cornos,avarentos,coitados entre outras exposições depreciativas em filmes,novelas e alguns comerciais, e não termos uma representação legal e respeitada para defender esta classe ,já tão humilhada.
    Na década de “80” conhecí uma casa de suco com o seguinte nome: “O ENGENHEIRO QUE VIROU SUCO”
    Podemos não virar casa de suco,mas já estamaos esmagados…

    Responder
  • 26 de dezembro de 2011 a 08:50
    Permalink

    Pois bem , a odontologia vive de contrastes o CIOGO (- Congresso Internacional de Odontologia de Goiás) foi muito bem organizado teve uma estrutura muito boa alem de ter sido muito bem organizado.
    Os stands eram bem montados, as palestras aconteciam nos horarios propostos e foi uma maravilha .

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *