24/04/2014

Se apaixone pela Odontologia

Todo mundo que escolheu na vida se formar em Odontologia (ou em qualquer outro curso longo e dispendioso como a Odonto)  teve vez ou outra a sensação de estar se “casando” com aquele diploma. E é exatamente isso que aconteceu.

Porém, assim como nos casamentos entre pessoas, o casamento entre pessoas e suas profissões também perdeu um pouco da sua importância, devido à incrível facilidade com que o sujeito hoje em dia tem de, na primeira adversidade, se “divorciar” de sua profissão e logo ali na esquina arranjar outra.

Mas o que faria um dentista, que gastou uma pequena fortuna na sua graduação, jogar tudo pro alto e abandonar a alta-rotação ???  A resposta é simples … é o mesmo que leva uma pessoa a abandonar seu cônjuge e trocá-lo por outro: FALTA DE AMOR.

Eu mesmo confesso, já por algumas vezes, cheguei a pensar em largar tudo. Motivos não faltaram. Tentações então nem se fala. Ver aquele seu colega que nunca estudou na vida ganhando mais que você num trabalho com menor carga horária, direito a férias e 13º salário além de plano de saúde, vale alimentação e outras regalias frustra qualquer dentista. Mas assim como no casamento real, a gente tem sempre que pensar muito, pesando todos os prós e os contras, antes de dar um passo gigantesco como o de romper com a nossa amada, no caso, a Odontologia.

Hoje vejo que tomei a decisão certa, não só por tudo que a odontologia me proporcionou, mas também, por tudo que ela ainda pode proporcionar. Já me re-apaixonei pela Odontologia algumas vezes, e sei que você que está me lendo agora, desanimado com a profissão, também pode. Dê essa chance a ela. Se apaixone pela Odontologia. Não a abandone por causa de uma pedra no caminho. Você, e a Odonto, ainda tem muito chão pela frente, e muitas histórias para viver e contar. Estrada essa banhada com algumas lágrimas mas infinitamente repleta de sorrisos. :D

Sobre o Autor 

Fabrício Mendes é atleticano desde que nasceu em 1978, dentista desde 1999, blogueiro odontológico desde 2010 quando do interior de Minas Gerais (Ilicínea, pra ser mais exato) resolveu criar o Vida de Dentista.