Odontologia também é Poesia

odontologia poesia

“O que mais gosto no meu corpo?

Ah, minhas mãos…

Tão pequenas, delicadas, necessárias.

O que seria de mim sem minhas mãos?

Mãos de unhas coloridas,

Mãos de pele ressequida…

Mãos de luvas de boxe ou látex.

Minhas mãos.

Mãos que curam, trabalham, tiram a dor.

Mãos que sofrem de tendinites.

Mãos de dentista, mãos de artista!

Esculpindo na resina a naturalidade de um sorriso.

Extraindo aquele maldito dente do siso.

Fazendo a dor parar de doer…

Minhas mãos, minhas lindas mãos.

Tão precisas, ressecadas.

Doloridas, jovens e calejadas…

O que seria de mim sem minhas mãos?”
—–
Texto que a jovem e talentosíssima poetisa (que por hobby é dentista e das boas), Marjorie Lanzarin, me enviou por e-mail para fechar com chave de ouro esse feriado. Obrigado Marjo !!!
=D

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

4 comentários em “Odontologia também é Poesia

  • 15 de novembro de 2010 a 20:30
    Permalink

    De nada, e muito obrigada por publicar dr. Fabrício!! 😀
    Sempre muito lisonjeada por fazer parte do blog!

    Responder
  • 16 de novembro de 2010 a 14:55
    Permalink

    Adorei… Meu maior medo é machucar as mãos e não poder exercer nossa nobre "arte". Parabéns.

    Responder
  • 24 de agosto de 2011 a 20:18
    Permalink

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *