24/04/2014

O Balde de Dentaduras

balde dentaduras

Hoje tô meio saudosista. Lembrando muito de pessoas que passaram na minha vida e que fizeram realmente diferença.

E uma delas, talvez a mais marcante, é o meu vô João Dete. Ele, que foi morar com Deus em Março de 2008 ainda é personagem vivo de muitas das minhas melhores lembranças.

Eu gostava de chegar na casa dele e sentar na poltrona de frente a dele, e ali passávamos horas conversando, e ele, contando seus casos de quando era moço. Um deles, que me lembro bem, é o de como é que ele perdeu todos os dentes e teve que colocar dentadura superior.

Ele contava que lá pras bandas do Serrano, localidade rural onde ele nasceu, certa vez passou um tal cavaleiro, (ele citou até o nome do sujeito, mas eu não me recordo) que trazia nas tralhas dele alguns alicates e pasmem … um balde, cheio de dentaduras.

Esse cavaleiro percorria as roças, em busca de algum coitado com dor de dente para poder ganhar o seu dinheiro arrancando tudo e vendendo alguma daquelas “chapas”. E como dizia o meu avô … “era mais fácil arrancar tudo e aproveitar o recurso”, afinal de contas não se sabia quando é que passaria lá praquelas bandas outro arrancador de dentes.

Mas o mais legal de tudo, é que ele, já no fim da vida, meio esquecido das coisas, me contava isso todo dia que eu ia lá, sempre com um sorriso lindo no rosto que me mata de saudade até hoje. :(

Sobre o Autor 

Fabrício Mendes é atleticano desde que nasceu em 1978, dentista desde 1999, blogueiro odontológico desde 2010 quando do interior de Minas Gerais (Ilicínea, pra ser mais exato) resolveu criar o Vida de Dentista.