Home » Blog » Causos » Os primeiros dias da minha Vida de Dentista

Os primeiros dias da minha Vida de Dentista

E aquele estudante, que ontem matava aula de Odontologia Social Preventiva para jogar sinuca no Bar da Dinha, agora, recebia seu diploma, e alegre pensava em fazer sucesso na capital das Minas Gerais.

Lá estava eu, récem-formado em BH, trabalhando feito burro pra fazer dos meus 20% que recebia como remuneração na
clínica rendessem o máximo. Tentava sempre que possível fazer a organização da agenda, para evitar 5 extrações consecutivas, mas nem sempre era possível. E dá-lhe estufa no úrtimo grau, pra ver se amenizava o peso na consciência e matava pelo menos um tanto “bão” de bactérias.

Faltava uma semana para o Natal de 1999, e eu, que já estava ali há 10 dias, ainda não acreditava direito que a realidade cruel que era a vida de um jovem dentista. Tinha dia que, com a minha comissão, eu não pagava almoço e janta num restaurante decente.
Veja bem, eu não disse caro e bom. Eu disse decente.

Daí bateu o desespero. Telefone na mão e saí ligando para todos aqueles números de cliniqueiros que lotavam o mural de anúncios da faculdade. Ouvi propostas absurdas, bem piores do que o que eu tinha ali. Até que uma me agradou. Porcentagem maior, mais perto de casa, com hospedagem incluída.
Fechei.Começaria lá dia 02 de Janeiro. Mas antes, eu teria que sugar tudo que aquele serviço atual pudesse me proporcionar. Naquele Natal eu queria ser o “Papai Noel” da família, que tanto fez e se esforçou por mim.

Os dias voaram, e eu trabalhei feito um louco. Consegui juntar em uma semana, tirando as minhas despesas,  algo em torno de meio salário mínimo. Era pouco. Na verdade, era um lixo. Se eu parasse na esquina da clínica que eu trabalhava, das 08 às 20 horas,
pedindo esmola, arriscava ganhar mais. Odontologia não podia ser aquilo. E não era. Hoje eu sei que a Odontologia é bem mais que aquilo que eu vivi, e que infelizmente, muitos de nós ainda vivem.

Mesmo assim sou grato.
Não ganhei $$$ mas ganhei muita experiência. Aprendi e trabalhei em 15 dias mais do que na minha graduação toda. Mas o mais importante de tudo, é que naquele Natal, eu pude retribuir, mesmo que com presentes simples, as pessoas que se sacrificaram para me ver formado. Naquele Natal, eu aprendi que presentear é infinitamente mais prazeroso do que ser presentado.

—x—
Se eu fosse vocês, experimentava, e mandava um presente pra mim, só pra poderem sentir o bem estar que invadirá cada um de vocês !!! :D


Sobre: Fabricio F. Mendes .'.

Fabrício Figueiredo Mendes é atleticano desde que nasceu em 1978, dentista desde 1999, marido desde 2005, pai desde 2008 e blogueiro odontológico desde 2010 quando de Ilicínea, no sul de Minas Gerais, resolveu criar o Vida de Dentista.

Artigos relacionados