24/04/2014

Secretária faltou. E agora ???

Ontem no consultório passei por uma situação que, se não foi desesperadora, faltou pouco: Me vi sozinho sem a minha secretária

Ela, por problemas particulares, não veio trabalhar. Problemas esses que não vou explicar mas que adianto, são profundamente aceitáveis. Mas o que me deixou chocado foi ver o quanto eu sou dependente dela. Ontem, em alguns momentos, a impressão que dava era que o consultório funcionava sem mim ou sem a minha esposa,
mas não funcionava sem ela.

Durante o dia, o dentista aqui, além de atender seus pacientes estava acumulando as funções de recepcionista, atendente, caixa e acd
(que ela exerce sozinha). Quase fiquei doido !!!


Havia momentos em que eu, o dono da bagaça, não sabia onde ficavam certos produtos e instrumentais. No meu próprio consultório
eu estava mais perdido do que azeitona em boca de banguela.

Mas o fato é que eu nunca precisei saber. Ela sempre me dá tudo na mão. E  só ontem eu percebi o quanto isso é errado.
Nós não podemos ser secretária-dependentes. Nunca se sabe o dia de amanhã. De repente, por algum motivo, você pode se ver sem ela e aí ??? Seu mundo vai virar uma zona, como o meu virou ontem ???

Não permitam que isso ocorra. Tomem as rédeas de volta. Deleguem funções, mas acompanhem, mesmo que de longe, como elas são exercidas. Não percam o fio da meada do funcionamento e da dinâmica do seu próprio consultório. Caso contrário, vocês terão a mesma sensação que eu:
a de que a sua secretária ganha pouco !!! :(

PS: Hoje, 07 de Julho às, 06:00 hs, recebi um SMS da minha secretária dizendo:

Fabrício minha mãe faleceu ……………… Triste !!! Muito !!! :(

Sobre o Autor 

Fabrício Mendes é atleticano desde que nasceu em 1978, dentista desde 1999, blogueiro odontológico desde 2010 quando do interior de Minas Gerais (Ilicínea, pra ser mais exato) resolveu criar o Vida de Dentista.