O Dentista, o Paciente e a Amante

Não !!!
A Demi Moore não é minha paciente

Paciente de longa data, o Sr. Beltrano quase sempre vem ao consultório acompanhado da esposa e da filha, que também são minhas pacientes. Sempre interessado num descontinho, o Sr. Beltrano chora bastante, e acabo cedendo um pouco mais, afinal de contas, eles estão comigo há anos, e o senso de gratidão pela fidelidade amolece meu coração.

A cada 6 meses ele dá as caras no consultório, seja para fazer uma profilaxia ou só pra apertar o grampo do roach. Sempre acompanhado pela família,
menos dessa última vez. Nessa ele veio sozinho, e estranhei quando ele me pediu para ter um “particular”. Pedi para a secretária que nos desse licença e ele foi logo me perguntando se uma tal Ciclana estava fazendo tratamento comigo. Respondi que sim. Ele então quis saber quanto é que ela me devia. Categoricamente tratei de dizer a ele que não forneceria aquela informação pois só dizia respeito a mim e à propria paciente. Mas ele insistiu, e disse que queria pagar tudo que ela me devia. Daí a conver$a mudou !!! :p

Ele continuou, explicando que tava tendo um rolo com essa paciente, e que para fazer um agrado para ela pagaria sua dívida comigo. Então perguntei se ela sabia disso, pois poderia se irritar caso fosse pega de surpresa por essa notícia. Mas ele disse que ela sabia e tinha corcordado.
Safadjeeeeeenha Bom, se ela aprovava, quem era eu pra discordar ???

Daí então, o que tinha tudo para ser apenas um acordo comercial, começou a evoluir. A paciente beneficiada mudou sua postura adotando uma personalidade bastante diferente da que eu estava acostumado. Começou a exigir horários e questionar a falta deles com a minha secretária, chegando inclusive a ser ríspida. Só faltava usar o bordão da Lady Kate
Tô pagaaaaaaaaaaaaando !!! Até que um dia ela usou, com a recepção cheia, e eu, pra contornar a situação, acabei atendendo-a no meu horário de café.

Ela entrou, sentou-se na cadeira e enquanto eu a isolava para cimentar a coroa do 11 o telefone tocou. Não o meu, mas o dela. Era o Sr. Beltrano. Ele tentou cortar a conversa alegando que estava no dentista, mas ele parece que insistia em conversar. Brigaram. Ela desligou o telefone e me mandou continuar.
Vai logo escravo !!! Meio constrangido, olhei para a secretária e comecei a prepará-la de novo. dessa vez o celular dela não nos interromperia pois estava desligado. Mas de repente …. triiiiimmmm !!!! O meu telefone tocou !!!

A secretária atendeu. Eu já imaginava quem era do outro lado, mas continuei preparando a paciente para receber a coroa. Era novamente o Sr. Beltrano. Insistia em falar comigo. Era URGENTE, segundo ele. A paciente pediu que não atendesse. Alegou que estava com pressa e queria ir embora logo. Mas algo me dizia que eu tinha que atender. Luvas fora, e atendi.


Foi constrangedor. O mesmo Sr. Beltrano que há poucos dias, se derretia por aquela paciente, agora a odiava. Descobriu que além dele, ela “fazia felizes” mais 3 senhores da sua faixa etária. Profissional a menina. Dizia que tinha ficado sabendo só hoje e pedia que eu não colocasse o dente na boca da “bandida”. Expliquei que seria impossível pois, ao pagar, ele tinha feito um favor a ela, não a mim. Na ficha dela nenhum débito constava, e portanto eu não podia negar a ela a entrega do dente. Ele meio contrariado entendeu, mas disse que não ficaria no prejuízo. Problema seu com ela. Prossegui então com a cimentação da coroa. Adaptação perfeita, paciente satisfeita, tchau.


Dois dias depois, chega o Sr. Beltrano no consultório. Pede pra falar de novo em particular comigo. Eu esperava tudo. Que ele fosse me xingar, me pedir o dinheiro de volta, sei lá, menos aquilo. Ele trazia nas mãos um pedaço de papel higiêncio com alguma coisa embrulhada. Abriu cuidadosamente e lá estava ela, a coroa que eu cimentei na amante dele. Segundo ele, os dois tinham brigado, e “sem querer” ele esbarrou na paciente e a coroa saiu. Perguntou se eu não comprava ela de volta, afinal de contas, valia pouco mais que um salário mínimo, e aquela mulher não merecia. Expliquei que não seria possível, pois a coroa só servia no dente da amante e portanto, para mim não tinha valor algum. Nem entrei em detalhes sobre como foi que ele conseguiu o dente de volta. Aquilo era problema deles. Antes de sair, só me perguntou onde era o lixo, e assim que mostrei ele jogou a coroa fora.


Uma semana depois, com cara mais lambida do mundo, chegam os dois no consultório. Ele querendo saber se por um acaso eu não tinha guardado o dente e ela querendo tampar a porteira deixada pelo Sr. Beltrano. Obviamente, disse que não tinha guardado o dente, mas que ela ficasse calma , pois em 15 minutos ela sairia dali pelo menos com um provisório. No final das contas, entre mortos e feridos salvaram-se todos. Menos as oncinhas e garoupas do Sr. Beltrano que sem pestanejar pagou tudo novamente.


Moral da História:
Amante, Caminhonete Turbinada e Política … não mexa com isso pois S? DÁ DESPESA !!!

Compartilhe essa postagem com seus amigos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente

Comentários

10 comentários em “O Dentista, o Paciente e a Amante

  • 26 de julho de 2010 em 21:45
    Permalink

    Vc tem que publicar um livro. Eu compro e vou aí para me dar o autógrafo. rsrsrs.
    Vc ainda vai ficar famoso com esses"causos" odontológicos.
    Sucesso!!!
    Bjs Paula Rollemberg

    Resposta
  • 27 de julho de 2010 em 01:15
    Permalink

    Hehehehehe

    Cara, percebo que algumas coisas são universais.
    tem uma historia de umas dentaduras que fiz há uns anos bem parecida com isso.
    kkkk

    E nosso podcast?

    Resposta
  • 27 de julho de 2010 em 01:42
    Permalink

    E eu que achava que era a única que passava por essa situação. Ainda bem que tenho você pra dividir as "mazelas" de atender amante de paciente.

    Resposta
  • 27 de julho de 2010 em 05:13
    Permalink

    hahahahaha… ótimos causos! A gente sempre passa por cada uma né… rsrsrs

    Resposta
  • 28 de julho de 2010 em 17:39
    Permalink

    Já atendí uma paciente que era amante de um
    paciente antigo.Ele levava a família e quando terminava o tratamento pedia para marcar o da "outra"!

    Resposta
  • 20 de setembro de 2010 em 22:33
    Permalink

    Tenho um cliente que vive falando que vai marcar para a amante…acho que o cara anda meio duro, se é que vcs me entendem. Hahahaha

    Resposta
  • 26 de janeiro de 2011 em 04:59
    Permalink

    Essa história foi fabulosa, eu fico a imaginar o metodo do qual ele ultilizou para extrair a coroa do dente da mulher.
    Estas suas histórias me fazer rir muito,daria um ótimo livro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *